segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

FERRARI IMPERIAL

Acabo de retornar do jantar de abertura da 20ª edição do Wrooom, o tradicional evento que marca o início da temporada da Ferrari e, desde alguns anos, também da equipe Ducati da Moto GP. Na minha terceira passagem por aqui, os rituais vão se repetindo e o clima é o de primeiro dia de volta às aulas: reencontro com os colegas da sala de imprensa, desejos de feliz ano novo e troca de impressões sobre o que foi feito nas férias de fim de ano.

O evento ocorreu no “Salão Hofer”, uma sala histórica do tempo em que os Habsburgo comandavam a região, que ainda fazia parte do Império Austro-Húngaro. Época em que surgiu esse vilarejo, com uma igreja, um hospício e um hotel onde um “Não-sei-o-que-lá Hofer” pintou os afrescos que adornam as paredes até hoje.


Em meio a um farto bufê que, claro, continha as indefectíveis especialidades da região (a saber: o queijo de Trento e a polenta), os pilotos apareceram e ocuparam seus espaços de maneiras diferentes. Nicky Hayden passeou com tranqüilidade pelo salão, mas sempre com a expressão séria. Difícil ver este moço sorrir. Já Casey Stoner estava com cara de doente. Podia ser mero enfado, mas sua bela e solícita esposa Adriana cuidava de fazer todos os mimos para o australiano enquanto ele ficava enfurnado num banco de madeira.

Felipe Massa comprovou seu status de membro querido da família Ferrari, sendo cumprimentado efusivamente por membros da equipe e patrocinadores por onde passasse. Na breve conversa que tive com ele, reafirmou a grande alegria com o nascimento do filho, demonstrou ânimo com a temporada e deu a entender que é mais um dos muitos pilotos do paddock a ser mordido pelo bichinho do pôquer – aliás, já que a Ferrari conta ainda com os contumazes jogadores Giancarlo Fisichella e Fernando Alonso, melhor comprar logo uma mesa para colocar no motorhome e contratar um croupier.

Falando no espanhol, ele parecia mesmo aquele menino estreando numa escola nova. Chegou tímido, pela primeira vez de vermelho e ostentando o logotipo da Ferrari. Instalou-se num canto do salão longe da muvuca e só saiu de lá depois que os colegas da imprensa espanhola apareceram. Mas demonstrou simpatia às diversas manifestações de boas-vindas que recebeu e chegou até a brincar no momento das fotos oficiais, roubando o equipamento de um cinegrafista e filmando a bagunça.

A sessão de fotos, aliás, foi o ponto culminante dos inevitáveis micos que esses eventos criam. Depois que alguns pares vestidos a caráter dançaram meia-dúzia de valsas, os pilotos tiveram que ficar ao lado do casal “Franz Josef e Sissi” (que, naturalmente, não falavam uma palavra de alemão) para fazer a festa dos fotógrafos. Foi curioso, criou um clima de baile imperial, mas combinou só com o “Salão Hofer”, não com o resto. Porque a tradição nobre e afrescalhada dos Habsburgo nada tem a ver com a tradição latina e barulhenta da Ferrari.

E o Wrooom 2010 começou!

9 comentários:

Bruno Galhardi disse...

Ico, sempre vejo o Stoner com essa cara de doente. Afinal, o que afeta o piloto? Acho ele muito talentoso, mas deve demais na parte física.

abraços

Marcos Antônio Filho disse...

poso ser pessimista, mas acho que Stoner tem algo mais sério do que se pensa, espero estar enganado.

e a Ferrari daqui a pouco começa a ferver nesse frio todo, quando tiver a primeira corrida veremos!rs

James Azevedo disse...

Ainda tô estranhando esse uniforme Santander da Ferrari... parece meio genérico hehehe. E o Alonso de um lado e o Massa do outro, pq será kksoksoskos.

Marcelo Urânia disse...

Ico, tô absurdamente feliz por garantir um ingresso pro Setor A em Interlagos.

E vc tá no Wrooom!

Cara, vc tem o melhor emprego do mundo! haha Parabéns!

Pinheirinho disse...

Bicampeão da Fórmula 1, espanhol Fernando Alonso aparece pela primeira vez com o uniforme da Ferrari, sua nova equipe. Ele e Massa participam do tradicional encontro de início de temporada, promovido pela escuderia italiana.
Pinheirinho é divulgador cultural é maranhense, a partir de Brasília. - E-mail: pinheirinhoma@hotmail.com

Daniel Médici disse...

Eu até admiro o bom gosto dos Habsburgo para construir castelos e tal. Mas colocar um Franz Josef e uma Sissi no meio dos pilotos é de uma insensatez ímpar! Os promotores do Wroom devem ser especializados em vergonha alheia..

Herik disse...

O que é aquilo na mão do Rei? Uma galinha preta para despacho?

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Herik, eu pensei a mesma coisa... minha esposa austríaca explica: é o chapéu.

Eduardo Cruz disse...

Ico, aquilo tá mais pra um faisão abatido pro jantar do que pra chapéu.
Se você já cansou da polenta só nesses dias do Wrooom, imagina o Franz Josef. É um faisão, disfarçado de chapéu, pra ninguém criticar o abate da ave.
E antes que me esqueça, Bom Ano novo pra você, Ico, e pra toda a galera que acompanha o blog.