sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

FOTO DO DIA – GP DE MÔNACO DE 1957

Retomando as imagens da coleção distribuída pela Shell em Madonna di Campiglio, essa mostra a concentração absoluta de Mike Hawthorn antes de encarar as ruas de Monte Carlo. A prova era um verdadeiro desafio aos limites dos pilotos, com 105 voltas e mais de três horas de duração. A corrida do inglês da Ferrari, porém, foi curtinha, que ele se envolveu num acidente logo na quarta volta depois de uma confusão na chicane com três compatriotas seus: Stirling Moss, Peter Collins e Tony Brooks. o último seguiu na corrida e terminaria em segundo lugar, atrás do vencedor Juan Manuel Fangio.

5 comentários:

Speeder_76 disse...

Boa, gostei. É optimo para fugir à rotina de só falar do MP4-25. Eu decidi falar dos tempos loucos de Jody Scheckter na McLaren. Afinal, ele faz hoje 60 anos...

Gusz disse...

Ico, você sabe dizer se essa foto é com o carro #24 ou o #28, já que Hawthorn esteve inscrito nos dois carros? Obrigado por continuar postando as fotos da "caixinha"...

Anselmo Coyote disse...

Como naquela época não existia a força G, o piloto corria até os 50 anos ou mais, sem cinto de segurança, com um arremedo de capacete e um óculos bem fuleiro. E os pneus? Duravam 4, 5, 6 corridas ou até mais... rsrs.

Ah... tem mais. Os pilotos eram playboys que só andavam no carro no dia da corrida. O resto era só rock'n roll. Preparação física? O que é isso? diriam.

E havia ultrapassagens, pegas e muitas emoções.

Perto daqueles, hoje só temos "santas" na F1. Celebridades, dirão os mais educados que eu.

Abs.

Anônimo disse...

Bela foto, Ico...

Quanto à descrição do piloto dos anos 50 pelo Anselmo Coyote aí em cima, só faltou ao Mike Hawthorn sua inseparável (nem tanto) "gravata borboleta"...

um abraço,
Renato

PS: Também agradeço pela postagem das fotos da "caixinha" da Shell/Ferrari...

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Gus, desculpa, nao tenho como saber com qual carro ele está na foto, ok?

E fiquem frios que temos mais imagens na agulha!

Abs!