quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

TV BLOGO – OS SHOWS DA MINHA VIDA (7 – FAITH NO MORE)

O Rock in Rio 2 acabou sendo a edição da minha geração, aquela que chegou em 1991 no auge da adolescência, descobrindo um universo inteiro de músicas, principalmente através da recém-aberta MTV Brasil. A lista de artistas trazia um punhado de gente de peso que tocaria pela primeira vez no País. Eu tinha dinheiro para um dia, fiquei uns cinco minutos em dúvida se priorizava Robert Plant ou Santana (que, inexplicavelmente não foram colocados na mesma noite), mas a paixão pelo Led Zeppelin falou mais alto e fui eu para o Rio de Janeiro com um ingresso para o dia 20 de janeiro na mão.

que Plant desistiu de participar do festival na última hora – alegou alguma questão de saúde, acho, mas foi amarelite aguda, muita gente jura. na Cidade Maravilhosa, contava com o bom senso dos organizadores em colocar Santana para substituí-lo. Em vão, em seu lugar colocaram aquela versão menos pior do Supla chamada Billy Idol.

Restou resignar-me e
ir ao Maracanã do mesmo jeito. O estádio estava lotado, todo mundo na expectativa de ver a banda do momento, Guns N’ Roses, que fecharia a noite. Mas quem roubou a cena foi o Faith No More, tocando com uma garra absoluta no que foi considerado o melhor show daquele festival. Quem estava jamais vai esquecer a vibração do público durante a hora e meia do show no FNM. Para mim, o ponto alto foi “The Crab Song”, dedicada a Pelé e que quase levou o estádio à implosão na hora em que a balada romântica vira um metal dos mais pesados.

A
noite podia ter acabado ao final da apresentação deles, mas ainda tocaram Billy Idol e Guns N’ Roses. Não fez a menor diferença.

12 comentários:

TRON disse...

FnM é uma de minhas bandas prediletas. Faz falta...

Lucas Carioli disse...

O Faith No More foi a primeira banda que me apaixonei, nessa mesma época, 1991/92. Época que os abalos sísmicos do íncrível álbum de 1989 (The Real Thing) ainda eram sentidos. Não tem como não gostar de "Epic", "From Out To Nowhere" "Falling Into Pieces" e outras.

O que eu lembrava era justamente isso, que eles tinham roubado a cena nesse show, onde todos esperavam mais do Guns And Roses, que chegou ao Brasil, da maneira de sempre, pimpões, causando estardalhaço.

Eles não foram tema de uma edição do Globo Reporter também?

Juliano Messaggi disse...

Estava escutando The Real Thing ontem em meu celular, realmente um álbum marcante.
As letras psicodélicas, o rife pesado da guitarra e a força nos vocais de Mike Patton fizeram o melhor show daquela noite. Infelizmente assisti flashs do show na TV do Dr. Roberto Marinho, que trasmitiu somente o show do Guns n´Roses.
Uma pena que os álbuns que sequiram do FnM não tiveram a mesma energia.

Mauricio Neves disse...

Eu também estava lá, Ico, e com a mesma expectativa inicial frustrada. Concordo que FNM foi espetacular, e talvez até por estar com o espírito em paz depois do showzaço, me diverti com o Guns. Idol foi, digamos, engraçado de tão constrangedor (assim como foi Spin Doctors abrindo Stones no Maraca em 95, mas aí é outra história).

Anônimo disse...

O Rock in Rio da minha geração foi o 3 de 2001. Que azarado que sou... foi o pior dos 3 Rock in Rio. Esse de 1991 eu lembro de ver pela tv, mas era muito pequeno e com apenas 10 anos não podia ver tv até muito tarde. O de 1985 eu não lembro de nada, mas dizem que foi o melhor. Para tirar a dúvida, tem alguém que foi nos três?

Já o Faith No More, embora não seja a minha banda preferida, tem varias músicas boas.

Fernando Mayer disse...

Olá Ico!

Depois de muito tempo sem fazer nenhum comentário sobre seus posts, aqui estou eu.

FnM é muito legal e apesar de gostar muito do Slash e Duff do Guns n Roses, tenho que admitir que achei a apresentação deles meio fraquinha...Detesto o Billy Idol. Agora o que eu achei maravilhoso mesmo no show do FnM foi o cover do Black Sabbath - War Pigs - onde eles fizeram bonito. Até algum tempo atrás eu tinha um VHS com a transmissão da Rede Globo e me lembro de ver o "Patético" comandante da nave mãe (eca!) falar um monte de besteiras durante os intervalos entre as músicas do Guns...Aliás não sei pra que um "Narrador" de um Show de Rock. Ou pelo menos deveriam colocar alguém que entenda de Rock n Roll. Em 2001 foi a mesma coisa com o Mauricio Kubrusli (!?). Em 2011 quem será que vai pagar o mico?

Abç

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Fernando, quem era o "Patético"??? Desse eu nao me lembro...

Abs

Ron Groo disse...

Não era o Zeca Camargo?

Outro show que me faz falta no curriculo.
Me lembro de ter ouvido "Épic" pela primeira vez e pirar... Aquele peso, aquele canto rapeado e o fim apoteótico.
Sensacional.

Assessoria Especial de Comunicação Institucional disse...

Ico e Mauricio Neves, eu também fui a este dia. Situação muito parecida com a do Ico. Tinha 20 anos, dinheiro para um fim de semana apenas e só duas noites (sou do interior de SP). Escolhi o primeiro dia (sexta-feira), pois meu ídolo maior da época iria fechar a noite: Prince. E, também na dúvida entre sábado (Santana e INXS) ou domingo (Robert Plant e Guns), fiquei com o segundo.
O show do Prince, apesar da demora e da frescura, está até hoje no meu top 10. Demais. Melhor ainda porque tinha pouca gente (entre 20 e 30 mil pessoas), deu para chegar perto do palco para ver o baixinho (aliás, Prince daria um bom piloto de kart).
Também fiquei puto com o cancelamento do Plant. Eu e os quatro amigos da viagem aproveitamos o show do Idol para comprar souvenires e tirar uma penca de foto com artistas na saída da sala VIP, que descobrimos por acaso. Só que aquele tal de FNM, de quem eu só conhecia "Epic", ARREBENTOU! Cara, comprei o disco na semana seguinte e ao ouvir as músicas, lembrava de cada uma no show. Demais. Se não estou viajando e a memória não falha, eles também não tocaram "Easy" naquela noite, bem antes de gravarem em estúdio?

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Zeca Camargo! Nossa, q horror mesmo.

Putz, nao me lembro mesmo se tocaram "Easy". Fiquei com as músicas mais pulsantes na mente... Aliás, uma coisa que eu adoro é site que compila setlists. Pena que do Rock in Rio nao tem nada disso.

Abs!

Fernando Mayer disse...

Ico e Amigos.

O Patético a quem eu me referi era o Pedro Bial...vergonha alheia!

Acho que eles tocaram "Easy" sim.

Abç

Fabio disse...

Ico, eu estava lá também... concordo em 100% com tudo o que voce disse... PS.: Eles tocaram "easy" sim...