sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

MINIATURAS – LOTUS 107C

Daqui a pouco a equipe Lotus apresenta oficialmente seu modelo para a temporada 2010, por si um feito e tanto se levarmos em conta que faz menos de cinco meses que o lugar do time na temporada foi outorgado pela FIA. O objetivo da equipe é ser a melhor das estreantes, mas é de imaginar que eles sofrerão os mesmos tipos de problemas que a Virgin está passando agora. Iniciar um carro de Fórmula 1 a partir de uma folha em branco é um desafio gigantesco, ainda mais buscando fazer isso com um orçamento apertado.

Vai
ser uma Lotus como a do modelo acima, o usado no início da última temporada da equipe na Fórmula 1: lutando para ser competitiva e para sobreviver. Em 1994, o time não marcou nenhum ponto, mas “bateu na trave” algumas vezes. E encerrou sua passagem na F-1 alugando o cockpit nas corridas finais, antes de fechar as portas em definitivos. Agora, volta às pistas, malaia e preservando a combinação original de Colin Chapman com o verde e o amarelo.

O
modelo acima, com Pedro Lamy ao volante, foi feito pela Onyx na escala por 1:43 e está na minha coleção. Clique para ampliar!

11 comentários:

Daniel Médici disse...

Sempre gostei desse carro. Mas acho que quem esteve envolvido com ele nao concorda comigo. Ele era nada mais do que um modelo de 1993 adaptado às novas regras, cujo desenvolvimento havia sido interrompido em setembro.

Só no GP da Espanha a Lotus conseguiu colocar em pista seu sucessor, o 109. Entretanto, ele foi projetado para o motor Mugen Honda, que só ficou pronto no GP da Itália. Quando a equipe se estruturou, já era tarde demais e eles não puderam lutar mais por pontos. Aliás, salvo engano, foi a única temporada em que a marca de Colin Chapman não saiu do zero.

tibone disse...

Eu tenho essa mesma miniatura.
Lotus 94, Pedro Lamy, 1:43, Onyx.

Comprei em 94 mesmo.
Aliás, vendo agora, a maior parte das minhas minaturas são de 94/95 e compradas nesta época, por conta de uma loja aqui em Porto Alegre, que vendia a preços justos.
Bizarro, sendo que 94, é justamente o ano que a F-1 perdeu aquele que foi, na minha opinião, o melhor de todos os tempos.

Ron Groo disse...

É um belo carro, mas quando penso em Lotus não me sai da cabeça os carros de Emmerson.

Sei lá acho que a associação é afetiva, mas fazer o que?

Lucas Carioli disse...

Tenho uma miniatura igual, também fabricada pela Onyx, mas da versão de 1993 ainda com Alex Zanardi ao volante.

No começo eu estranhei muito o que esses Malaios estavam fazendo. Mas pelo que pude apurar, a empreitada é séria, organizada pela Proton, dona da Lotus Cars e com a bênção de Clive Chapman, nada menos do que o filho do criador da equipe. E o mais importante, eles parecem dispostos à manter um fio histórico com o passado, a começar pela pintura que ficou belíssima. O carro está todo em verde British Racing Green com listras amarela, lembrando muito às Lotus de Jim Clark nos anos 60.

A Lotus sempre foi minha equipe favorita. Não preciso dizer que estou torcendo muito para essa empreitada dar certo.

Danilo Fraga disse...

Ico, me tira uma dúvida. Na década de 90, o povo trocava pneu em 5s ou 6s, agora o povo está falando em 3s ou 4s. Como os caras melhoraram tanto? Como é possível trocar pneu em 3s? Você já viu uma troca dessas?

Fleetmaster disse...

Linda miniatura ! O ICo mostra aqui aos poucoas suas pequenas preciosidades !
Claro que o nome LOTUS remete a Emerson e Ayrton para nós, mas vai ser legal ver este nome novamente na F1 !!!!

ba disse...

Outra pergunta, Ico: que tipo de malaio se chama Tony FERNANDES?? :D

Lucas Pastorello disse...

"que fazem menos de cinco meses"

Na verdade o correto é "que faz menos de cinco meses". O verbo "fazer" no sentido de tempo decorrido é escrito no singular.

LMPA disse...

A fadiga de material da Lotus em fim de carreira terá contribuido para a quebra do suporte da asa traseira que provocou um gravissimo acidente de Pedro Lamy em Silverstone. Ele saiu capotado e voando, passou por cima das redes do circuito e a monocoque, com o piloto lá dentro, foi parar dentro de um tunel já fora do complexo de Silverstone. Quando o Johnie Herbert, colega de Lamy e que também estava em pista, chegou ao local, viu o rasto de destroços e deu o alarme, mas demoraram a perceber onde estava o piloto acidentado.
1994 foi um ano louco mesmo.

Fabricio disse...

Is portugueses estiveram na Malasia por muito tempo...a pricipal cidade lusa por la era Malaca...dai um malaio chamado Fernandes...

ba disse...

Ah, tá... Valeu, Fabricio! Esse imperialismo dá o que falar...