quarta-feira, 10 de março de 2010

A INCÓGNITA HISPANIA

Os boxes de número 27, 28 e 29 permaneceram fechados quase o dia todo. Quando uma fresta se abriu, deu para ver uma intensa movimentação dentro. O clima de mistério na garagem da equipe Hispania bastou para fazer surgir um rumor de que o time não vai disputar o GP do Bahrein. A possibilidade até existe e é admitida por membros da equipe, como o próprio Bruno Senna. Mas é preciso discernimento para entender que a posição deles é mais por cautela do que por falta de .

A
verdade é que qualquer equipe que chegasse para disputar um Mundial de Fórmula 1 sem ter rodado um quilômetro sequer teria suas dúvidas. Os carros da categoria são de uma complexidade enorme. Assim, os planos do time serão bem distintos do resto. Os treinos de sexta-feira servirão para fazer um shakedown do carro: cada um dos pilotos dará uma volta, depois o carro ficará muito tempo nos boxes para que o funcionamento de todos os componentes seja checado. Por isso, Bruno Senna admite que pensar em mexer no acerto do carro, medir o desgaste de pneus e de combustível, será possível no sábado. Isso se problemas sérios não aparecerem.

É
grande a chance de isso acontecer? Impossível dizer. A Hispania tem a vantagem de que o câmbio (e o motor) usado por ela é mesmo utilizado pela Lotus e pela Virgin. Assim, os problemas que surgiram do uso destes componentes foram diagnosticados e sanados por estas duas equipes. A favor da equipe está também a experiência de seu staff técnico. Jacky Eeckelaert (ex-Honda) e Geoff Willis (ex-Red Bull) são macacos velhos da Fórmula 1. E os engenheiros Antonio Cuquerella (ex-BMW Sauber com Kubica) e Xevi Pujolar (ex-Williams com Nakajima) conhecem os modelos da categoria como a palma da mão.

Jogando
contra está a inexperiência dos mecânicos, a maioria oriunda da DTM, o que dá a chance de um erro na montagem. Mas isso seria algo fácil de ser diagnosticado e resolvido. Assim, o problema mais sério que poderia acontecer é uma complicação no projeto da Dallara que realmente fosse difícil de entender e solucionar.

Por tudo isso, eu prefiro esperar o que vai acontecer nos treinos livres de sexta-feira para avaliar se o time realmente tem chances de não disputar a corrida do domingo. Até , tudo fica ainda num campo exclusivamente especulativo. Dificuldades a equipe tem, é claro. Mas conseguiu hoje ligar os motores montados nos chassis. Foi a última a fazer isto, mas fez – e as unidades funcionaram normalmente.

Ainda
fora do cockpit, Bruno Senna e Karun Chandhok carregam um certo ar de apreensão com a incerteza, mas também muita alegria pela equipe formada e vontade de trabalhar e superar tudo. A busca de ambos e da trupe da Hispania em vencer as dificuldades vai ser claramente uma das grandes histórias dentre as muitas que o final de semana promete.

7 comentários:

Anônimo disse...

Mandou na veia Ico.
abs.

Anônimo disse...

Muito legal.
Nos faz sentir presentes.
Faz acreditar que vão alinhar no grid.
@jaymedefreitas

Speeder_76 disse...

Ico:

Lendo o teu post da HRT fez-me lembrar as aguras da Super Aguri nos seus primeiros tempos, especialmente no seu primeiro ano: o facto de ser um chassis antigo, derivado do Arrows de 2002, o facto de ser quase uma chicane móvel, aliado a um péssimo piloto, o Yuji Ide, entre outras coisas... em suma, a ideia disto ser uma nova Super Aguri passa pela minha cabeça, neste momento.

Em relação ao resto... veremos, não é? Mas no Bahrein, ficaria muito surpreso se fugissem à última fila da grelha.

Cezar Mariano disse...

Admiro a força de vontade deles, mas um carro de F1 é extremamente rigoroso em sua montagem e regulagem, torço para que consigam alinhar.

Marcelonso disse...

Ico,


Esse pessoal tem muita vontade é nitido,mas por outro lado colocar um carro para andar sem um metro de testes é no minimo temeroso,sem contar na falta de experiencia da dupla de pilotos.

Espero que pelo menos consigam andar nos treinos livres,mas começo a achar que não correm mesmo.

abraço

Anônimo disse...

Vão testar o carro sexta e sabado nos treinos livres, atrapalhando as outras equipes, no treino classificatório ficam no Q1 e na corrida de domingo, volta de apresentação, recolher para os boxes. Ou seja, qualquer coisa diferente desta receita, com certeza é um risco enorme para os demais competidores. Se os carros de Lotus e Virgin, com quilometragem de testes, já são perigosos. não gosto de pensar o que poderia acontecer

Theo disse...

Ico, mandou muito bem no seu texto "O Mundial da Democracia" no especial do Tázio. Parabéns, continuo fã do seu trabalho e estou na expectativa aqui pelas novidades interativas que vc irá lançar ao longo do ano. Tenho certeza de que vc virá com idéias bem interessantes. Um grande abraço Ico, tudo de bom. \o