quarta-feira, 10 de março de 2010

OPINIÕES NADA SUTIS

Vim no avião lendo o guia da temporada da revista alemã Kicker, sempre muito informativo. O mais interessante ficou para a parte que apresenta as corridas do ano. Cada pista foi comentada pelo piloto da Force Índia Adrian Sutil, que deixou o politicamente correto de lado e deu depoimentos sinceros. Ele foi claro no que pensa, mesmo que fosse para criticar, e é sempre interessante ver um piloto ir direto ao ponto desta forma. Confira abaixo a tradução que fiz para vocês:

BAHREIN –
Sempre fico ansioso pela abertura da temporadamas se dependesse de mim, ela não seria no Bahrein. De ambiente, não tem corrida mais sem graça, tudo é muito estéril, no meio do deserto. A pista é OK, mistura curvas lentas e rápidas e você fica lutando o tempo todo porque o asfalto tem relativamente pouca aderência. No geral, uma das melhores entre as pistas modernas. O ponto crítico é o cotovelo no final da reta dos boxes. Espero que a temporada não comece com uma colisão múltipla ali.

AUSTRÁLIA – O
início em Melbourne sempre foi um dos pontos altos da temporada para mim. Depois de meses de pausa, você chega muito animado para a disputa. Os australianos são muito legais e relaxados e o Albert Park tem uma atmosfera bacana. Vou sentir falta dessa magia em 2010, que vai ser a segunda corrida do ano. Mas a pista permanece jóia: uma boa mistura de circuito de rua com permanente. Em algumas curvas o guard-rail fica muito perto do traçado. Hoje em dia não se faria uma pista assim, mas eu gosto delas desse jeito.

MALÁSIA
Não é necessariamente um dos grandes eventos do calendárioainda que eu seja fascinado pela cultura e natureza do país, da Ásia que sou. Mas este não é um lugar para se correr de Fórmula 1, que o calor e a umidade são tão altos que você está sempre à beira de um desmaio dentro do cockpit. Nós sentamos nas saunas mais rápidas do mundo. Além disso, a pista é muito irregular, você fica como um esquiador numa pista de mogul. De positivo: o traçado tem suas variáveis e há bons pontos de ultrapassagem.

CHINA – Shanghai é uma
cidade malucacom todos aqueles arranha-céus, parece que a China pulou do século XX direto para o XXII. O circuito não é tão fascinante, mas tem seus atrativos. Algumas passagens são difíceis e a curva em forma de colher depois da reta dos boxes é uma das mais especiais do ano. Você entra nela em alta velocidade, depois tem de diminuir até a primeira marcha – e você vai virando à direita até seu estômago virar também. Possivelmente a mais longa curva do mundo.

ESPANHA – Barcelona: uma
grande cidade, mas na maioria das vezes uma corrida sonolenta. O problema é que a aerodinâmica é muito importante nessa pistabasta chegar perto de um outro carro que você sente os efeitos da perturbação do fluxo de ar. Ultrapassar assim é praticamente impossível. Mesmo assim, a corrida é importante, que o traçado traz elementos comuns à todos os outros circuitos. Quem for rápido aqui, é porque construiu um bom carro.

MÔNACO – Uma
corrida festiva como champanhe! Nós chegamos na terça-feira e ficamos quase uma semana inteira. O como a sexta é um dia livre, nós podemos aproveitar as baladas na quinta à noite sem ficar o tempo inteiro olhando para o relógio. A pista? Acho ótimo que ela seja quase um patrimônio histórico tombado. É tão emocionante acelerar um carro de Fórmula 1 por aquelas ruas apertadas – ninguém definiu melhor como o Piquet pai, que falou ser igual a “pilotar um helicóptero na sala”.

TURQUIA – Hermann Tilke
recebeu muitas críticas por suas pistas, mas o “Otodrom” é sensacional! É um sobe e desce como nos Alpes – e a curva 8 é um clássico. Quatro curvas à esquerda em uma, você vira o volante uma vez e vai. É preciso se deixar levar, o pescoço parece que ganha um metro de comprimento pela ação da força G e no final dela você é cuspido como uma bala de canhão. Uma grande pista quando você consegue chegar : os engarrafamentos de Istambul são tão famosos quanto a curva 8.

CANADÁ – Bonjour, Montreal! Estou
feliz que vamos voltar a pilotar no circuito Gilles Villeneuve. A cidade é única, com um charme francês e um povo que ama a Fórmula 1 – fora talvez a conta bancária do Bernie, nãonenhum motivo para cortar essa prova do calendário. O traçado é espetacular, com altas velocidades e as chicanes que geram um esforço brutal dos freios. Pilotar aqui é muito mais divertido que nas pistas novas, tão perfeitas que nãonem um tufo de grama fora do lugar.

EUROPA –
Valência é uma cidade maravilhosa e vibrante, que uma pena que andamos de Fórmula 1 . O circuito é um típico exemplo de “boa idéia, péssima execução”. No papel parece tudo perfeito: circuito de rua, com um porto e um grande cenário. Mas na realidade é traçado é um verdadeiro estorvo. Fora o conceito “reta-cotovelo-reta-chicane”, muito pouco é oferecido. Também o clima no porto faz tudo parecer uma espécie de “Mônaco para os pobres”. Valência merecia uma corrida mais atrativa.

INGLATERRA –
Opa, se isso der certo! Estou feliz que ficamos em Silverstone. O grande e tradicional circuito no meio da planície é um contraste maravilhoso com as pistas novas. Botas Sete Léguas ao invés de glamour! Resta esperar que a reforma não tenha estragado o traçado. Vou sentir falta da veloz curva Bridge. No lugar, vamos entrar numa nova parte depois da Abbey, que oferece curvas lentas e rápidas e pode facilitar as ultrapassagens. Se vai funcionar? É tomar um chá e esperar para ver!

ALEMANHA – No
revezamento anual entre Nürburgring e Hockenheim, é a vez agora da pista de Baden-Wüttemberg. Legal! O Motodrom é único com aquele clima de estádio de futebol. Quando você chega e ouve a vibração dos torcedores, fica arrepiado. É assim que deve se sentir um craque depois de marcar um gol! A parte reformada, com uma longa curva à esquerda e um cotovelo, mostra como uma pista deve ser modernizada. O exemplo está , Silverstone!

HUNGRIA – O
circuito de Hungaroring é freqüentemente criticado como um chato circuito “Mickey Mouse”. Injustamente, na minha opinião. Eu gosto da pista, suas muitas curvas são um verdadeiro desafio. Como pilotamos sempre com muita asa, temos muita aderência aerodinâmica, mas no traçado ideal. O carro fica preso ao asfalto, uma sensação bem diferente das pistas de alta velocidade, onde você o sente muito pouco. Legal para os pilotos, nem tanto para os torcedores – a pista é tão estreita que prevalece umproibido ultrapassar”.

BÉLGICA – Spa faz
parte do patrimônio universal do automobilismo! Pilotar aqui é diversão ilimitada e garantida do primeiro ao último metro. Ao contrário das pistas artificiais dos últimos anos, aqui você pode realmente deixar o carro correr, tudo flui naturalmente e as curvas de alta são sensacionais. Todos sabem da Eau Rouge, masoutros pontos irados, como a dupla curva Pouhon, que você faz em sexta marcha. Um espetáculo que até mesmo os pilotos de Fórmula 1 raramente vivem.

ITÁLIA – Se o
barulho de um motor de Fórmula 1 é musica, então Monza é Heavy Metal. Selvagem, arcaico, alto. Malpara imaginar como martelamos as chicanes com brutalidade, você sempre com medo de estragar seu carro e seus ligamentos. O traçado é simples, “reta, chicane, reta, chicane”, mas aqui o desenho antiquado faz um charme todo especial. Ainda por cima há a atmosfera do parque, os torcedores loucos pela Ferrari, a antiga curva inclinada – Monza é genial!

CINGAPURA – O
Marina Bay Street Circuit é uma pista de verdade camuflada de circuito de ruaveloz, com cerca de cinco quilômetros de extensão, a volta parece que não quer terminar. É bem divertido! A incidência de luz para a corrida noturna não é problema. Difíceis são os implacáveis calor e umidade, você quase não consegue receber oxigênio fresco dentro do capacete. E também a adaptação ao horário para a corrida noturna: eu durmo até as 3 da tarde, o biorritmo fica alterado e você se sente sonolento o final de semana inteiro.

JAPÃO –
Nãocomputador no mundo capaz de criar uma pista tão impressionante como esta. Suzuka é quase como um Nürburgring asiático. Praticamente todas as curvas têm um segredo diferente. A primeirapara ser feita de embaixo, mas você não consegue entrar na segunda. Depois vêm a seqüência de “esses”, na qual há uma variedade enorme de linhas para o piloto escolher. Suzuka é um “Best of” dos traçados. Quem pilotou aqui num videogame sabe o que eu estou falando.

CORÉIA DO
SUL – A corrida mais emocionante na Coréia deve acontecer antes mesmo do GP. Será que a pista em Yeongam vai ficar pronta a tempo? No papel o traçado parece relativamente rápido. Nos vamos pilotar ao longo de um porto, de onde os torcedores poderão assistir à corrida de seus barcos. Os boxes ficam no meio da cidade, Herrmann Tilke projetou um misto de circuito de rua e pista de verdade. Tudo soa como uma Valência do Orientemas eu espero muito que a pista seja mais divertida.

BRASIL –
Para mim é o último ponto alto do ano. Na verdade, a final do campeonato deveria acontecer aqui. Os torcedores fazem barulho como se fosse o estádio do Maracanã e a pista é tão sensacional quanto. Ela sobe e desce como se fosse uma montanha-russa. E você fica o tempo inteiro matutando: para a parte mais sinuosa você precisa de colocar asa, para o longo trecho de embaixo que inclui a reta dos boxes precisa tirar. Tem que experimentar: “o quanto de asa aindapara diminuir?” Pelo menos aqui, a Fórmula 1 vira um esporte mental.

ABU DHABI – Uma
pista puramente para a TV, mais reluz do que brilha. O circuito de Yas Marina parece espetacular na telinha, mas dentro do carro é muito sem graçaaté o ponto em que pilotar um Fórmula 1 pode ser sem graça. Tudo é muito óbvio, sempre com as mesmas curvas. Para mim, fazem falta as curvas de alta e as passagens marcantes. Claro que é positivo o quanto estas novas pistas são seguras. Mas tenho que admitir, não tenho muito saco para pilotar nestas pistas certinhas como Abu Dhabi.

36 comentários:

Mauricio Gangi disse...

Olá Ico!!!
Sensacional a análise do Sutil, é mais ou menos o que a grande maioria pensa.
Abraço, e ótimo trabalho aí!!!

Léo Engelmann disse...

Sensatas as opiniões de Sutil. Ele explica de uma forma que um menino de 9 anos que joga video-game entende e passe a seguir os conselhos.

Muito bom, Ico.

Marcelo Urânia disse...

é com esse tipo de matéria que pilotos ganham torcedores.

adrian sutil ganhou moral por aqui!

Daniel Médici disse...

Lembro do ano passado, quando ele falou de Abu Dhabi algo do tipo: 'Essa é a pista mais moderna da atualidade. Por coincidência, também é a mais chata'.

Sempre gostei do Sutil (mesmo dentro da pista, sério) e me agrada muito ver um piloto que não sai por aí dando declarações plastificadas sobre como-a-pista-é-um-grande-desafio-e-estou-ansioso-para-a-largada. O modo como fala de Montreal, como critica Ecclestone, como destila críticas ferozes a Tilke faz de Sutil um cara indispensável no grid.

Otavio Silva Guisard Faria disse...

Bem, ele simplesmente disse que todo fã de F-1 pensa, até porque para ser piloto, você precisar ser um apaixonado pelo esporte. Tirando o Bernie, acho que todo mundo tem saudades da F-1 que perdurou até o início da década de 90. Onde risco, diversão, o desenvolvimento irestrito de tecnologia fazia a F-1, um esporte diferente dos demais.
Tenho saudades ver a corrida no antigo circuito de Imola, finado Hockenheim, Jerez de La Fronteira e os E.U.A poderia voltar a ter uma corrida em Waltinks Glen. Desculpem os ofendidos, mas GP na Coreia do Sul, Abu Dhabi, China e Cingapura, é como mandar é fazer uma Copa do Mundo de Futebol Masculino com sede Arkansas e jogos pelo Alabama, Tennesse e Missippi.

Fabrício Colorado disse...

Onde está a matéria original? me parece que existem varios erros de tradução. Botas Sete Leguas na europa?

Mario Umberto disse...

Genial Ico!
Mais um belíssimo trabalho com a sua marca.

Ron Groo disse...

É bom ler opiniões que parecem sinceras para variar. Ficou anos luz distante das declarações pré gravadas de alguns pilotos.

Só uma duvida: Ele por acaso já foi ao Maracanã?

Jader Goergen disse...

Muito bacana a análise, vou torcer pelo Sutil. Ops, not, a globo diz que devemos torcer pelos "nosso pilotos". hehehhee

Acelera, sem sutiliza, Sutil!
Trocadilho infame.

Obrigado, Ico por este post, muito bom mesmo.

Lucas Carioli disse...

Virei fã desse cara!

Mário Sérgio disse...

Mr. Sutil nunca foi um dos meus piloto favoritos, mas há de se admitir que ele ganhou alguns bons pontos comigo ...

Aderson disse...

Resumindo o que Sutil disse: as antigas e tradicionais pistas são um paraiso para os pilotos e os novos traçados tilkianos são uma mer#@%&*#$#%¨%¨¨%&¨%.

Will disse...

Gosto muito do Adrian, mesmo ele sendo alemão (rsrsrs). Só acho que a definição do Piquet para Mônaco não envolvia helicópteros...e sim bicicletas!

Eduardo Malheiros disse...

Hahuahua, muito bacana as análises, ponto para o Sutil. Deu pra ganhar ou aumentar a simpatia de muitos para com ele. Bom também é ver que mesmo com a saída de Kimi Raikkonen ainda tem gente que fala o que pensa e não leva a F1 tão a sério, ao menos em termos de burocracias.

Abraço!

Fabehr disse...

Ele subiu no meu conceito.

Hugo disse...

Espetacular o ponto de vista dele. Carregado de impressões pessoais e nada estéreis, bem diferente do que se lê por aí. Virei fã dele!

Bruno A. disse...

Subiu muito no meu conceito também. Tomara que muita gente de dentro da F1 (todo mundo sabe específicamente quem) leia isso.

outro ponto a se notar é como a sinceridade do cara diverge da imagem que ele tem que passar nas entrevistas.

Thiago Wilvert disse...

"(...)fora talvez a conta bancária do Bernie(...)"

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Muito legais as declarações do Sutil! Também subiu no meu conceito!

Abraço a todos!

tibone disse...

Muito boas as declarações dele.
Apenas o que todo mundo pensa, ele falou.
Pistas novas só são legais para o Bernie, queremos é corrida de verdade e não procissão.

Fabio disse...

Já gostava dele e agora passei a gostar mais ainda!

Rodrigão disse...

Muito legais as opiniões fora do lugar comum do Sutil. E obrigado pela tradução, Ico. Apesar de o alemão ser praticamente sua mother tongue, não deve ter sido fácil, muitas expressões específicas, etc. E ainda tem gente que vem aqui pra te cornetar... óbvio que ele não deve ter dito "bota de sete léguas", mas certamente disse algo equivalente que o Ico achou melhor traduzir assim pro Português.

Anselmo disse...

Muuuuuuuito bom.
Pareceu sincero e entende do assunto. Vou torcer por ele tbm.
Ico, belo lance no blog.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Muito legal a repercussao do post. Quanto às botas, ele citou "botas de borracha" ("Gummistiefel") - mas é claro que eu busquei uma traducao mais condizente com o que conhecemos no Brasil e com o clima geral do depoimento dele.

O próximo passo é modernizar as obras de Goethe! :-p

Abs!

Fábio Andrade disse...

Olha, nunca li declarações tão autênticas nessa F1 onde é proibido subir o tom de críticas ou ter pensamento próprio. Gostei muito.

E o que o Sutil falou sobre Suzuka é fato. Até no F-1 2006 de Play Station, que está longe de ser um bom jogo, a pista japonesa é a mais desafiadora e gostosa de todas. É clássico.

SPECBlog disse...

Será que alguma publicação brasileira poderia aproveitar a experiência matusalêmica de Barrichello pra fazer algo parecido para nós?
Ainda bem que tem o Blog do Ico, de longe ou de perto, o melhor da categoria. Valeu, Ico, a partir desse fim de semana, vamos todos ficar coladinhos por aqui tem pentelhando.

LG ♫ disse...

Parabéns, Ico! Por essas e por outras, que acho o seu blog o melhor no assunto, disparado. E parabéns ao Sutil também. Não conhecia esse lado Villeneuve dele e gostei.

Arthur disse...

Isso é o Adrian Sutil.

Para quem não conhecia ele,vejam esse vídeo dele no final do GP de Monza.Quando ele conseguiu um quarto lugar.
http://www.youtube.com/watch?v=t9SM9as0skU
Lá para os 2:55 que a graça começa.

Por isso que torço(E TORÇO MUUUIITO MESMO!!)para esse cara desde os tempos da Spyker!!

Valeu Ico!
Ah!Ótima tradução!

Thiago disse...

Excelente o texto!

Ico, quanto à frase do piquet, ele falou helicóptero mesmo? Sempre escutei essa frase com "bicicleta".

kzieg disse...

@Ron Groo ele pode até não ter ido no Maracanã, mas como o Pai dele é Uruguaio ele sabe bem o clima de um jogo lotado Maracanã.

Augusto disse...

Simplesmente o melhor comentário sobre as pistas que eu vi nos últimos anos, direto, bem no fundo da questão, Sutil foi de uma sinceridade impar, e não duvido que todos os outros pilotos tenham respostas diferentes da dele na questão dos autodromos. Fórmula 1 realmente é demais, pena que quem realmente entende do assunto que são os pilotos, mecanicos e engenheiros nunca são ouvidos por caras como Bernie. Enquanto isso perdurar, as procissões de domingo vão continuar, uma pena.

Guto Neto

Peixe Antenado disse...

Humm, até dá p desconfiar q tenha sido ele q falou isso tudo, já q hje em dia os pilotos são tudo certinho,igual a pistas novas em q correm,falar até do bolso do Bernie,sei nao,dá p duvidar,

caso tenha sido ele mesmo já ganhou minha simpatia e torcida!

Anônimo disse...

Sutil resume o que aqueles que gostam de automobilismo já vem falando há tempos: as pistas estão cada vez mais sem graça desde que inventaram as chicanes e passaram a abusar das curvas de 90°. Se é em nome da segurança não sei, mas sei que desse jeito o automobilismo tende a acabar.
Luiz Eduardo
Curitiba

Vandilson disse...

Maravilhoso este post... o sucesso não é atoa!
Ico, mais presentão pra gente, valeu.
Há o pessoa parece que ficou um pouco encucado com a frase do Piquezão... qual é a real?

Vinícius Neves Urbanek disse...

O Sutil falou o que todos pensam. Na F1 temos circuitos chatos, como Sakhir, circuitos entediantes, como Abu Dhabi, circuitos com tradiçaõ, como Monte Carlo e Silverstone, e circuitos onde a emoção está sempre perto, como Monza, Spa e Interlagos.
Ps: Sempre fui com a cara do sutil, agora, sou torcedor assumido dele, pois ele foi o único piloto, pelo menos por enquanto, que teve coragem de falar a verdade: que os circuitos novos são uma droga e que o tio Bernie só pensa no bolso dele.

Guilherme disse...

O comentário geral do pessoal mostra o nível de chatice das declarações dos pilotos atuais... Como alguns disseram aí, ele apenas falou o que todo mundo pensa - e por acaso isso chama a atenção?

Não gosto do Sutil como piloto e as declarações não têm nada de especial, a não ser pelo fato de ele ter permitido que fossem publicadas.

Esse cara tem pistolão lá dentro. Há meia dúzia de alemães na categoria, ele é o pior de todos e ainda assim tem vaga garantida há bons anos.

Pra mim é do nível de Cristian Klien.

Miron disse...

Sensacional os comentários. Virei fã!

Melhor impossível.