sexta-feira, 9 de abril de 2010

O ÁLBUM DA COPA

Hoje, com a Internet, dá até para saber a hora que a expectativa vai acabar. É no domingo que o álbum de figurinhas da Copa do Mundo chega ao mercado. E uma centelha da infância será incandescida em milhares de marmanjos (e, porque não, “marmanjas”) planeta afora. A emoção do primeiro pacote, o cuidado ao colar os cromos nas folhas do álbum, a fase enervante em que chegam repetidas, a troca delas com colegas e/ou desconhecidos no ponto de ônibus, a busca incessante por aquelas sete que ainda faltam e a glória suprema de completar a coleção.

A última figurinha ganha quase uma aura mística. Na Copa de 82, meuSanto Graal” era um peruano chamado Jeronimo Barbadillo. Para obtê-lo, tive de repassar a um colega o meu maço de repetidas e a caixa de plástico “Super Trunfoem que elas eram acondicionadas. Não importava, o álbum estava terminado e foi companheiro inseparável durante aquele mês de competição. O bigode de Roger Milla, a truculência do goleiro alemão Schumacher e o, para nós, odioso sangue-frio de Paolo Rossi eram quase íntimos de tanto que eu tinha olhado as fotos de cada jogador, correndo os dados com os dedos, vendo quem era o mais velho, quem jogava no mesmo clube, quem tinha a cabeleira mais ridícula.

Desde
então, nunca houve Copa sem álbum na minha vida. Alguns deles ficaram com o meu irmão: colecionávamos em conjunto e a hierarquia da idade nunca me fez questionar o fato. Talvez porque isso nunca tenha me incomodado, hoje sei que ele usa os álbuns como fonte de idéias para os ótimos livros sobre futebol que escreve (e, também num acordo silencioso e inspirado, eu fiquei com os álbuns de Fórmula 1 da infância). Mas tenho os meus da “fase adulta”, incluindo os das duas Eurocopas que vivi desde que me mudei para o velho continente.

E comprei
também um livro editado pela Panini que reproduz todos os álbuns desde o primeiro, o da Copa de 1970. Vale apenas como documento, claro, mastambém para curtir umas boas horas revendo as fotos e relembrando dos resultados de cada edição, impressos sempre na página anterior à contracapa.

É nele
que eu busquei essa curiosa coleção apresentada na imagem acima. Fabio Capello, Morten Olsen, Dunga, Javier Aguirre, Maradona, Ricky Herbert e Huh Jung-Moo não estarão no álbum da Copa de 2010, mas estarão na beira do gramado comandando suas seleções (no caso do Capello, a inglesa). Quando os jogos começarem, volte a este post para comparar a ação do tempo neles. Afinal, os álbuns estão para isso!

(Foto reprodução)

11 comentários:

Speeder_76 disse...

Ico, também sou um bocado como tu: tenho álbuns dobre os Mundiais, desde 1990 até ao de 2006, excepto o de 1998. E tenho, algures por aí, o álbum do Euro-88...

Da última, tenho uma história em particular: nessa altura, estagiava na RTP portuguesa, e quando o álbum chegou, os meninos da redacção começaram a comprar "às toneladas". Eu só aproveitei as ofertas para completar em cerca de dez dias o meu álbum. Ainda devo ter uma caixa cheia de repetidas desse mundial...

Fazer o álbum de 2010? Vou pensar nisso. Ainda me lembro das frustrações dos álbuns incompletos dos outros Mundiais. Não sei se me meto de novo na aventura...

Carlos Eduardo disse...

ola ico. cara tenho alguns albuns da epoca de 80 e 90 como os da época do tri do senna e da copa união. é ótimo ver alguns cromos e relembrar a infancia. abraços! blog maravilhoso sempre!

Othon disse...

Sensacional !!!

Flavio Maciel disse...

E gostava mesmo era da coleçao de figurinhas do chicleye ping pong. Lembro bem de 82 e 86. Bons tempos....

Pedro disse...

... pois eu perdi o rastro do meu álbum de 1982 da F1...

Que bom que você guarda os seus, Ico.

Ron Groo disse...

A unica coisa que acho estranho é sempre o álbum sair antes das convocações oficiais de cada pais...

Ai quando chega a copa tem sempre figurinha de jogador que não foi e tal...

Arthur disse...

Caramba!!

Leu meu pensamento!!
Hoje estava comentando com um colega se haveria album nessa Copa?
Sim,pq faltam poucos dias e nada de album.

Baita coincidência,hein!

Lembro que não só colecionava os albuns da Copa(este até 2006),como também o do Campeonato Brasileiro!

E a medida que os anos passavam os albuns iam ficando com mais informações.Tais como artilheiros,classificações de outros anos...

Não existia melhor "literatura de banheiro" que os albuns de Copa e do Brasileiro!!

Pena que nunca consegui completar um album na vida.Sempre faltavam "aquelas sete"...

Valeu Ico!!

Mário Salustiano disse...

oi Ico

como não sou fã de futebol nunca me liguei nesses albuns, gostaria de sugerir que voce abrisse espaço para falar de livros sobre automobilismo, tenho uma coleção muito boa que juntei em cerca de 36 anos acompanhando F1, são quase 400 volumes sobre F1 e o automóvel de forma geral, que achas?? poderiamos comentar muita coisa legal sobre o que já foi escrito e o que está em evidencia, abs

Anônimo disse...

Então Ico... vamos ter a história da imagem e o poster para o GP da China? Abs

drico disse...

bom gosto muito de teu blog , só me tira uma dúvida na internet tem um boato que não foi lançado o album da copa em 86 pela ping pong somente as figurinhas.diferente de 82 quando a ping pong lançou também o album ? alguem já viu o tal album de 86 da ping pong ?existe mesmo ?

Tiago disse...

Amigo, quero oferecer uma coisa que talvez te interesse...
Tenho um albúm de figurinhas da copa de 62. Faltam algumas figurinhas mas, a seleção do Brasil está completa!
Se tiver interesse posso te mandar algumas fotos.

meu email: luiz.migliani@terra.com.br