quinta-feira, 20 de maio de 2010

MEA CULPA

Na última edição do “Credencial” eu já havia apontado um erro de procedimento dos comissários de prova da FIA como o principal responsável pela confusão ocorrida na última volta do Grande Prêmio de Mônaco. Hoje a entidade divulgou uma nota oficial reconhecendo justamente essa falta de clareza e disse que fará ajustes à regra 40.13 para que a sinalização a pilotos e equipes em situações similares de Safety Car seja mais clara no futuro.

É um tema relativamente pequeno, eu sei, mas ver a FIA descer do pedestal e reconhecer eventuais incongruências é uma marca positiva do comando de Jean Todt, algo difícil de imaginar acontecendo na administração anterior. Ainda que eu tenha minhas críticas quanto a algumas questões, é preciso reconhecer que o estilo “low profile” do francês veio em boa hora.


Ainda que o pobre Michael Schumacher pagou por um pato que não era dele, pelo menos a vontade de aprender com o erro aconteceu por parte de quem o cometeu. Agora, se o alemão perder o campeonato por seis pontos – o que parece improvável no momento –, a Mercedes vai se arrepender como nunca ao ter retirado o apelo, pensando no “bem do esporte”. Altruísmo ganha simpatia, mas não títulos.

(Foto Luis Fernando Ramos)

10 comentários:

Mario disse...

Apesar de acreditar que Damon Hill nao agiu de ma fe, e que Schmacher nao deveria ser punido, o alemao ja foi beneficiado demais na f1 nas inumeras vezes que quis ser esperto. Ele precisa se dar mal tambem de vez em quando.

Delta Alfa disse...

Ico, em 2008(naquele polêmico episódio da ultrapassagem de Ham sobre Rai, em Spa), a Mclaren n teve seu recurso recebido pela corte, pois, segundo a FIA, n era possível apelar de um drive thru(ou o seu equivalente: 20 segundos de penalty, se o incidente for nas voltas finais). Enfim, a regra mudou ou a Mercedes veio com essa estória de "pelo bem do esporte" só pra parecer q saiu por cima?

Smirkoff disse...

"Altruísmo ganha simpatia, mas não títulos" - Stirling Moss que o diga!!

Ron Groo disse...

A Mercedes poderia até manter o protesto e o recurso, mas ganhar mesmo eu duvido.
De qualquer forma, já esta feito e a FIA, até a FIA reconheceu que foi mal feito. Quem sabe não começam a rever algumas coisas ai... Tipo o contrato com a firma do Tilke.

Anônimo disse...

Primeiro a mercedes tem tradição mas ficou 50 anos fora da formula 1,não vai querer briga logo agora...se fosse ao contrario e o alonso tivesse feito a ultrapassagem no shumacher o que vc acha que iria acontecer ? teria 20 segundos a mais no tempo também ? eu acho que não...

Ewerton H. De Pedri disse...

Ico,
Acho que a questão não é se o Schumacher perder o campeonato por 6 pontos. Mas sim se o Alonso vencer o campeonato por 2 pontos.

Leo disse...

@Ewerton: boa sacada.

Tambem nao foi altruismo da Mercedes nada, foi so a realizacao que o apelo nao ia dar em nada.

Anônimo disse...

Ico,

Penso como o Ewerthon. A chance do Schumacher perder o campeonato por 6 pontos o campeonato é mínima, mas o Alonso ganhar por 1 ou 2 pontos em um campeonato tão equilibrado são grandes...
Aí vai ter confusão !!!

Abraços,

Telo

Eugenio disse...

tava claro que equipes pilotos e comissários não tavam entendendo o que realmente estava acontecendo...

por isso o certo devia ter sido destrocar as posições e pronto... achei absurda a punição de 20 segundos.

absurdo também uma punição sempre igual de 20 segundos que pode ser indiferente ou valer 20 posições quando tem SC
Eugenio

Anselmo Coyote disse...

"... eu já havia apontado um erro de procedimento dos comissários de prova da FIA como o principal responsável pela confusão ocorrida na última volta do Grande Prêmio de Mônaco."

"Hoje a entidade divulgou uma nota oficial reconhecendo justamente essa FALTA DE CLAREZA e disse que fará ajustes à regra 40.13 para que a sinalização a pilotos e equipes em situações similares de Safety Car seja mais clara no futuro."

Absurdo dos absurdos.
Como punir alguém se se reconhece que a regra não tem a clareza necessária a uma interpretação certeira?

Absurdo dos absurdos II.
Se a própria entidade reconhece que a obscuridade da regra permite dupla interpretação, porque não reconhece então que a interpretação dada pela Mercedes e pelo piloto era possível e neste caso não retira a punição imediatamente? É esse o estilo low profile do Jean Todt?

Com todo o respeito, Ico, neste caso o estilo do Jean Todt serve apenas como auto-promoção, porque a injustiça permanece e elee permanece insensível a ela.

É o que eu penso.


Abraços.