terça-feira, 11 de maio de 2010

SAIA-JUSTA

A FIA deve decidir muito em breve qual a equipe escolhida para ocupar a 13ª vaga na Fórmula 1. Novamente o nome das organizações que aplicaram por ela não foi divulgado. Mas pelo que eu apurei no final de semana, uma das candidatas é a francesa ART Grand Prix. Um nome bastante atraente e já sinônimo de sucesso nas pistas. O time tem três títulos de pilotos (Nico Rosberg, Lewis Hamilton e Nico Hülkenberg) e três de equipes na GP2. Na F-3 Européia, o domínio é ainda mais extenso com seis títulos para os pilotos dela e o troféu das equipes nos últimos sete anos.

Não bastasse tantas credenciais, a ART também negocia a compra do espólio deixado pela Toyota (como já reportado nesse blog, Zoran Stefanovic jamais pagou pelo negócio que havia anunciado) e planeja investir pesado até o final do ano no desenvolvimento do carro que os japoneses haviam projetado para a temporada atual.


Tudo muito bom, tudo muito bem, não fosse um pequeno detalhe: um dos sócios do time é Nicolas Todt. E ele é filho do presidente da FIA, Jean Todt. Por mais que a ART apresente todos os prós citados acima, uma eventual escolha do time suscitaria muita discussão se os interesses pessoais da família não tiveram uma influência na decisão. Uma das alternativas discutidas é se Nicolas sairia da equipe justamente no momento do passo decisivo, que ele tanto trabalhou para que acontecesse. Aguardemos os próximos capítulos...

15 comentários:

Inacio disse...

Se o Todt pai & filho tiverem a mesma fibra moral de Lula & Lulinha, a Art terá todas a benesses, favores e apoio que se pode imaginar...

Também tem que ver se o Nicolas não sai "só no papel" da equipe e na prática continua dando as cartas...

Ron Groo disse...

É... No mínimo é suspeito. E mesmo que não tenha nada de concreto nas desconfianças sempre vai ficar a duvida.

Cvpclaudio disse...

Independente do Socio é sim o nome de alguem que entenda, espero que venha competitiva, se comprar o espolio da toyota e fugir do cosowrth deve ser melhor que as 3 paredes ambulantes novatas desse ano, e no fim das contas e garantia que Massa continuará tendo onde correr.

André Nascimento disse...

Se o time não for escolhido, comprar a Toro Rosso seria uma opção a se considerar??
Tempos atrás já foi falado nisso..

Talita disse...

Cartas Marcadas ou Talento?
.
Mas se já está na disputa, de certa forma, já coloca o interesse familiar a cima da idoneidade da escolha.
.
Sei não hein..essa saia pra mim, nem entrou.

:>0

Ester disse...

Se a equipe tiver mesmo a melhor "credencial" das concorrentes para se competir na F-1, eu não vejo problema em aprová-la. A questão é que a seleção não é transparente (vide a polêmica dos motores das equipes selecionadas para correr este ano e a dúvida que paira se não havia escuderias mais aptas para correr na F-1 do que as novatas desse ano).
Se ao menos se soubesse mais das equipes que estão concorrendo e os motivos que levaram a escolha da vencedora da seleção, não haveria motivo para tanta desconfiança!

Esteban disse...

E a Epsilon Euskadi vai sobrar de novo?

Talvez não, mesmo que essa especulação da ART se torne real.

Acho que teremos 2 novas vagas para 2011.

Anônimo disse...

A F1 é uma entidade privada então não tem nada a ver. Quem define os critérios são eles. Mérito do Nicolas Todt em ser competente. Se fosse assim o Bernadinho nunca poderia convocar seu filho Bruno, um dos melhores levantadores do mundo, para a Seleção Brasileira de vôlei. Absurdo foram os critérios do Max Mosley que colocou um monte de equipe deficitária na categoria para pressionar o racha entre as montadoras.

Willian78

Thiago Wilvert disse...

Realmente, se o cara tem competência, acho que não tem problema. Só precisa deixar bem claro quais os critérios de seleção.

Williams disse...

Ué! Se for a melhor equipe das canditadas que não vá andar 7 segundos atrás das outras... porque não? Muito melhor a ART, com ou sem nepotismo do que USF1. Na boa, eu penso que F1, GP2 e GP3 ou F3 deveriam alinhar seus regulamentos e fazer um sistema de promoção e rebaixamento. As 3 melhores sobem e as 3 piores caem > nessa a ART já teria uma vaga, pois está entre as 3 da GP2. Praticamente todos os esportes são assim, não entendo porque na F1 nunca se pensou nisso. Ou já se pensou Ico? Abs!

Gusz disse...

Pelo menos assim o Felipe Massa (que tem Nicolas como seu empresário) não fica desempregado se contiuar com essas atuações...hahaha

Anselmo Coyote disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anselmo Coyote disse...

Ico,
Se o Todt pai & filho tiverem a mesma fibra moral de José Serra & FHC & PSDB, a Art terá todas a benesses, favores e apoio que se pode imaginar. Ao final ainda vai ser privatizada a preço de banana, bem inferior às benesses que recebeu, ou quebrará por incompetência administrativa. Fazer o quê? Tucanos adoram caviar sem esforço!
Abs.

marconi disse...

Não vejo isto como "nepotismo". Além do quê essa equipe vai estreiar bem. Pois ser mais lento que essas equipes novas é impossível.

Daniel disse...

Mas uma vez uma polêmica nas questões das equipes,acredito que a tão "famosa" 13ª equipe,seja a ART GP,alem disso,é uma das equipes mais bem preparadas entre as que estão disputando pela a canditadura.E é lógico que a Ferrari irá apoiar(ou alguem duvida disso?),e se a FIA não fizer a exigencia(boba,diga-se de passagem) de se utilizar somente o motor Cosworth,acredito que a ATR GP irá vim com motores Ferraris,por causa relacionamento entre o Nicolas Todt,e o do próprio Jean Todt com a equipe Italiana.Alem disso,o projeto da Toyota provavelmente foi muito bem desenvolvido,pois no final do ano passado,a equipe nipônica mostrou um ótimo desempenho,e que estava empenhada em construir um bom carro.
Alem dos motores,a Ferrari provavelmente irá manipular para colocar os "seus" pilotos na equipe,como o francês Julis Bianchi.