quinta-feira, 3 de junho de 2010

RAZÃO VERSUS INSTINTO

Abaixo a minha coluna publicada hoje no Lance!, escrita antes mas já antevendo a anunciada paz nos campos da Red Bull. Se vai funcionar? Minha opinião está aí:

Acabou o Grande Prêmio da Turquia e ninguém queria saber da primeira vitória de Lewis Hamilton no ano ou da dobradinha da McLaren. O único assunto era apontar um culpado pelo acidente entre a dupla da Red Bull. E foi interessante observar como a mentalidade dos pilotos e a dos dirigentes das equipes é completamente diferente.


Na perspectiva do cockpit, apontar Sebastian Vettel como o responsável pela batida é quase uma unanimidade. Mark Webber deixou um mínimo de espaço, apontam, e não havia necessidade do alemão abrir à direita quando havia um carro ali. Foi o que disseram pilotos como Nico Rosberg e ex-pilotos como Alexander Wurz ou Martin Brundle.


Quem se senta no pitwall viu a coisa diferente. Para eles, a culpa foi de Mark Webber, que já tinha o companheiro de equipe com mais de meio carro à frente e deveria ter aberto espaço para que este completasse a ultrapassagem. Não haveria porque manter o espaço apertado para o colega e o acidente se deu por conta disso.


Vamos olhar tudo com um pouco mais de distanciamento: para os pilotos da Fórmula 1, uma disputa entre os companheiros pode ir até o limite e é natural assumir o risco de uma batida. O importante é não se dobrar a seu principal adversário dentre todos os pilotos que estão na pista. Já os chefes da equipe acham que os pilotos devem colocar o interesse da equipe acima de tudo. Disputa interna, sim. Mas sempre com muito tato. E sem exageros.


É esta filosofia que os dirigentes da Red Bull vão repassar com sua dupla de pilotos. Vão argumentar que ainda faltam 12 corridas para terminar o Mundial, lembrando que o time já desperdiçou muitos pontos num campeonato em que têm o melhor carro. O importante agora é se distanciar do resto antes de ir às últimas conseqüências.


Vettel e Webber vão concordar, reconhecer que exageraram e prometer que aprenderam a lição. Mas agirão da mesma maneira agressiva se disputarem a liderança no próximo GP do Canadá. A 300 km/h, há um abismo enorme entre razão e instinto. Como na fábula do sapo e do escorpião, atacar quem estiver pela frente é a natureza deles. Companheiro de equipe ou não.

(Foto Red Bull)

7 comentários:

Luiz G disse...

Me imaginando na posição de um pioto de corridas, eu diria que:

Se eu estivesse na posição de Vettel, eu forçaria a ultrapassem a qualquer preço.

Se eu estivesse na posição de Webber, eu defenderia minha posição a qualquer preço.

Logo, não culpo nenhum dos dois pelo acidente. Numa corrida como essa,ou a equipe dá uma ordem aos pilotos, ou arque com as consequências.

...E foi o que aconteceu.

Spectreman disse...

Particularmente vou continuar torcendo pra que essas "merdas aconteçam" mais vezes durante a temporada.

Anônimo disse...

Continuo achando que a culpa foi dos dois, embora desconfie de ordem velada de troca de posições.
Webber, ao manter a trajetória numa curva na qual tinha preferência, assumiu risco da batida de forma desnecessária: o campeonato não acabaria ali.
E se não houvesse a batida, o Lewis passaria os dois, por causa de não ter sido feita a melhor tangência.
E quanto aos pilotos que você mencionou, sobressai a condição por eles experimentada.

marconi disse...

Os dois pilotos agiram certo. Infelizmente as coisas não acabaram bem. Espero que a RedBull não se "transforme" numa Ferrari.

Jeanne disse...

Massa esse blog.
aproveitando e divulgando:
Siga-nos: http://twitter.com/Zero_Emission_
Uma aventura inédita em um carro 100% elétrico!
Valeus!
www.zero-emission.com.br

Ron Groo disse...

Não consigo me lembrar, mas quando a Williams perdeu o campeonato ( e não só uma corrida) porque Piquet brigava com Mansell, houve tanta falação, tanta teoria, tanto nhenhenhen assim?

Virou comoção, como se fosse o fim do mundo.
Para mim tá tudo certo. Um tentou passar, o que lhe é direito, e o outro, mais ainda, manteve a linha.
Aconteceu o choque e um saiu fora.

Fiz um post sobre isto, mas ao meu estilo, sai neste sábado, penso que os dois não se acertaram nada, o que no fundo é bom. Afinal, acirra os animos para a disputa.

Renato disse...

A culpa é 100% do Vettel, ele pensou que o webber fosse abrir na hora da frenagem, nao se certificou, botou pro lado e deu no que deu.