quarta-feira, 28 de julho de 2010

SOBRE INCOERÊNCIAS

A parcial da enquete ao lado (participe se ainda não votou) mostra que a maioria vê Felipe Massa como o personagem que ficou com a imagem mais manchada em conseqüência do que aconteceu no domingo passado na Alemanha. Para mim, e sei que muitos vão discordar, o principal vilão da história foi o comando da Ferrari que executou uma ordem de equipe, um recurso que é proibido mas tolerado até certo ponto, de uma maneira arrogante de quem se vê acima das regras e do esporte.

Podemos discutir por dias a integridade moral de quem fez a execução prática do serviço, Alonso e Massa. Mas é uma discussão inócua. A Fórmula 1 é um ambiente muito duro onde a hierarquia de uma equipe é sempre muito clara. Concordemos ou não, qualquer piloto do grid atual teria agido da mesma forma na pista se estivesse no lugar deles dois, independente de nacionalidade, número de títulos e /ou vitórias. E não adianta pinçarmos exemplos de rebeldes do passado como Reutemann, Pironi ou Arnoux. A geração que está aí (Hamilton, Vettel, Kubica) recebeu o apoio de grandes empresas desde as categorias de base e sabe muito bem a quem deve responder. As coisas funcionam assim. Ponto final. A indignação de boa parte da mídia e a dos torcedores não mudará em nada essa realidade.


O que eu quero aqui é discutir os motivos que levaram Massa a sair tão chamuscado do episódio, especialmente no Brasil. Para mim, a resposta está no fato da torcida jamais esperar que o profissional Felipe Massa sobrepujasse um dia o esportista. Afinal, ao longo de sua carreira ele sempre construiu a imagem de um piloto guerreiro, um lutador que mostrou ao final do GP do Brasil de 2008 uma classe nunca vista para um esportista que vê o momento do triunfo absoluto desaparecer no último momento possível. “Sei como vencer e sei também como perder”, falou com absoluta naturalidade naquele dia, conquistando os corações de uma nação que jamais aprendeu a apreciar qualquer coisa que não seja o primeiro lugar.


Massa também foi um dos maiores críticos à vergonha acontecida no GP de Cingapura de 2008. Está claro que são situações completamente distintas, o que a Ferrari fez não atrapalhou a corrida de ninguém e nem colocou a vida das pessoas em risco. Mas, hoje, soa fora do lugar lermos o pensamento de Massa sobre o assunto, dito em janeiro numa entrevista coletiva em Madonna di Campiglio. “Todo mundo sabe o que aconteceu em 2008. Não acho que vale a pena voltar a todos aqueles problemas, temos de olhar para frente. Espero que estas coisas não aconteçam mais. Para o bem do esporte, não só pelo lado comercial. Se existe algo que não é correto no esporte, que foi feito contra as regras, não vejo nenhum problema em mudar o resultado. Não teria sido bom para a categoria como um todo, mas as coisas tem que acontecer dentro das regras”, foi o que ele afirmou na época. Diante disso, vai ser difícil ele se opôr a uma eventual decisão da FIA em mudar o resultado do GP da Alemanha.


Embora eu, pessoalmente, entenda as hierarquias das equipes da Fórmula 1 e o uso delas em corridas para o bem da equipe, me incomoda muito o fato da Ferrari fazer isso agora. Em que pese a forma de Alonso e as dificuldades de Massa, o campeonato mal utrapassou sua metade. Se o brasileiro ganhasse no domingo, ficaria a 24 pontos do companheiro e poderia ganhar com o triunfo aquela dose de autoconfiança que faz toda a diferença numa competição acirrada. Por isso a maneira com que Massa defendeu a equivocada decisão do time foi surpreendente. Bem diferente do que ele disse há menos de um mês. “Enquanto eu ainda tiver chances matemáticas, vou acreditar que posso conquistar o título. As coisas podem mudar rapidamente em duas corridas”, falou antes do GP de Valência.


Talvez as “duas corridas” que ele usou a frase foram apenas figura de linguagem. Talvez não: a Ferrari realmente pode ter determinado há um certo tempo, diante de como a disputa pelo título está acirrada, que o piloto que saísse de Silverstone na frente do campeonato passaria a receber todo o suporte do companheiro.


Se um acordo desse tipo existe mesmo, seria bom que Massa adotasse uma postura diferente da do domingo e viesse a público para explicar isso. Porque é a incoerência do discurso que torna as coisas piores para ele. Afinal, a Ferrari já mostrou inúmeras vezes em sua história que brecar um piloto para melhorar as chances de outro é uma prática comum para ela. E Alonso tem o egoísmo dessa raça de pilotos que podem ser excepcionais, mas que não dão a mínima para a maneira com que conquistam suas vitórias. Destes dois vértices do triângulo, ninguém esperaria outra coisa.

36 comentários:

Anônimo disse...

Ico, Sua imagem está queimada. Assim com o barrichelo foi queimado mesmo lutando para não ser capacho.

Daniel Médici disse...

Já escrevi isso em outros lugares, mas Massa foi vítima por um lado, já que a empresa que paga seu salário lhe deu uma ordem que, mesmo que atentasse contra o esporte, devia ser cumprida. Por outro lado, também é culpado, por ter tido a possibilidade de ignorar a ordem, mas tê-la cumprido.

Assim, nós, espectadores, fomos vítimas porque esperávamos ver uma corrida em Hockenheim, mas vimos um comercial da Ferrari. Por outro lado, se assistirmos a prova em Hungaroring, seremos também parcialmente culpados... (é um raciocínio teórico, não estou dizendo que não vou assistir).

Quanto à enquete, fiquei surpreso em Massa estar na primeira posição, pois eu também concordo que a maior vergonha deste episódio cabe à Ferrari.

fabio.guerra disse...

Justo Ico, o último paragráfo diz tudo: Ferrari e Alonso já tinham precedentes. Alonso é um baita piloto, mas sua postura de chorão e de ser beneficiado por falcatruas e tirar a bunda de seringa já manchou sua imagem há tempos. Massa não. Ele saiu com a imagem mais manchada pq nunca tinha compactuado com essas coisas.
Porém concordo que a Ferrari é a principal culpada, por colocar seus funcionários nesta situação difícil.
Espero que Ferrari e seus pilotos sejam desclassificados da etapa alemã.

Rafael mello disse...

Bom dia Ico,

Acho que o seu ultimo parágrafo define muito bem toda esse "embróglio".

Massa se perde em sua incoerencia de discurso e Alonso, um piloto genial e egoista (como todos os grandes campeoes)são duas pontas de um triangulo que é completado por uma terceira ponta: a gestão ítalo-obscura da Ferrari.

Grandes abraços!!

Rodrigo T. Lamonato disse...

Ico, estamos todos aqui debatendo sobre a grande pataquada da Ferrari.

Mas uma coisa está passando despercebida.

O Vettel. Ele largou na pole meu Deus. E conseguiu mais uma vez jogar pela janela, e na largada (vide Silverstone), a excelente chance que tinha de vencer a prova.

Fico aqui pensando, cá com meus botões, o que estará pensando Christian Horner.

Sobre isso falei no meu blog.

http://splashandgo.wordpress.com

Convido você e todos a passarem lá. Abs

Anônimo disse...

Eu acho que existem varios culpados.
A F1 de nao punir severamente a obvia nao obediencia do regulamento pela Ferrari. O que sao 100 mil dolares p quem gasta 400 milhoes??

Deveria punir os dois pilotos e a equipe..desclassificar todo mundo, dar drive through penalty.. Assim todo mundo pensa 2x antes de desobedecer uma regra..

Culpados tbem sao os patrocinadores - SANTANDER - que quer mesmo e ver o aloso campeao c sua marca exposta.. Afinal foi por isso que eles fecharam o negocio com a Ferrari, certo?
E olha que e muito dinheiro,..

Culpados sao as equipes por hj verem os pilotos como simples pecinhas que fazem parte do carro que podem ajuda-los a ganhar.. Mas nao como fator primordial..

Porque? Technologia.. Hj e muito mais facil de substituir um piloto "bpm" por outro.. Pq o carro e que faz toda a diferenca...

Acho realmente que os pilotos deveriam se juntar e lutar por regras e posturas mais claras. Porque hj eles sao as pecas que mais se arriscam e que tem menos forca em qualquer decisao..

Um absurdo

Fepoassilva disse...

Bom dia, Ico!
.
Para mim, Massa se aproximou ao Nelsinho Piquet. Se isso é bom ou ruim, cada um tem sua opinião e não vale a discussão.
.
1° Massa está tomando meio segundo de Alonso em todas as sessões de treinos e nas classificações, além de desempenho pior em corridas, algo que também acontecia com Nelsinho.
.
2° Massa aceitou fazer parte de uma marmelada armada pela equipe para beneficiar Alonso. Assim como fez Nelsinho, tudo bem que com o agravante da batida, porém nada impede que o "profissional" Massa não bata ou escape para a brita em uma nova oportunidade para que entregue a posição ao Alonso sem que seja descarado e polêmico como desta vez na Alemanha.
.
Para mim, o que o Nelsinho fez foi totalmente anti-esporte, mas entendi o lado dele na defesa do emprego e, por isso, ainda torço por ele, só que com menos vontade, e farei o mesmo com o Massa.
.
Tratarei o Massa, como trato o Nelsinho e o Rubinho, apenas como pilotos profissionais e não como tenho respeito pelo Piquetzão, pelo Emerson e pelo Senna, que eram pilotos de corrida, que recebiam para vencer!
.
Abraços e bons trabalhos por aí!

Anônimo disse...

Discordo que qualquer piloto faria isso.

Pilotos que fariam isso, sao pilotos que tem medo de perder seu lugar na equipe, e nao tem condiçoes de garantir lugar em outra equipe.

Raikkonen por exemplo, nao aceitaria tal ordem. Pq perder uma vaga na ferrari nunca foi o fim do mundo pra ele. Ficar sem assento, e sair da F1, nao foi um grande problema.

Eugenio disse...

Ico,

nao sei se isso passou no brasil, mas na imprensa italiano ficou clarissimo que a decisao foi imposta por Montezemolo, que ainda por cima respondeu às criticas com absoluto desprezo e arrogancia e dizendo que fez, refaria e sempre farà o mesmo e que quem pilota uma ferrari è apenas um dependente e tem que fazer o que ele mandar.


Na minha opiniao estas declaracoes por parte dopresidente do time sao gravissimas... praticamente ele disse que nao ta nem ali com as regras e pronto.

Eugenio

Erik disse...

Estranho. Na Turquia, a McLaren de uma ordem disfarcada (economizem combustível), para que os pilotos mantivessem suas posicoes evitando eventual contato. E os torcedores do Button, como ficaram nessa? Ele podia ter passado o Hamilton! E as casas de aposta? E esporte? Por que de repente detonou-se essa bomba só agora?

Rafael disse...

Tenho a seguinte opnião: jogo de equipe faz parte da regra do jogo. Como o Ico disse, goste ou não. O que irrita, é essa falta de coerência do Massa e a hipocrisia da Ferrari e Alonso em negar o acontecido.

[]s

Rafael

Celso Vedovato disse...

Concordo Ico!.
Não sou totalmente contra as ordens de equipe, e as achei perfeitamente naturais, por exemplo, com Massa e Kimi em 2007 e 2008. O piloto que ajudou não tinhas mais chances de ser campeão, natural trabalhar pelo membro do time que ainda tinha chances...
Dessa vez foi totalmente diferente, o que a Ferrari fez foi tiras a possibilidade de lutar de de um piloto, de acreditar, de ter esperanças. Isso é inaceitável.
Sobre todos fazerem o mesmo Ico, desconfio seriamente que não seja, assim, pois acho que Alonso não faria, e não por senso ético, o que definitivamente não tem. Alguém que comemora como ele, vitórias facilitadas como em 2008 e 2010, não tem qualquer compromisso com ética, moral ou honestidade e também por isso acho sinceramente, que Alonso não entregaria qualquer vitória, para um companheiro de equipe, pois trabalha exclusivamente para si.

Speeder_76 disse...

Ico:

Normalmente nem comento aqui, mas gosto de te ler. Concordo plenamente que neste cenário, todos são culpados, mas o maior de todos é, sem dúvida a Ferrari. Como alguém disse, ao transformar o GP da Alemanha num anuncio da Ferrari/Santander/Principado das Astúrias (escolher o que lhe interessa), fez de nós, aqueles que vemos as corridas aos Domingos, de parvos.

Comcordo que a Ferrari deu um tiro no pé, daqueles de canhão. Deveriam ter dito antes que a partir da corrida tal, haveriam hierarquias. Se dissessem tal coisa, teriamos aceite tal decisão. Ou até, se tivessem feito as coisas de forma discreta, como fazem McLaren e Red Bull (temos de admitor tal coisa) nem teriamos um décimo da polémica de agora.

A polémica acontece devido a uma quebra das regras, pura e dura, e do qual a Ferrari tem de sofrer as consequências. Não adianta nada o Luca de Montezemolo chamar de hipócrias aos criticos, pois só está a apagar o fogo com gasolina. O mal está feito, feito está, a FIA que aplique as sanções convenientes, é o minimo que se pede.

Curiosamente, ando a ler neste momento o "Go Like Hell", do A.J. Baime, sobre o duelo entre Ferrari e Ford pela vitória em Le Mans, e que aparentemente pode virar filme de Hollywood. Ao ler as politicas de Enzo Ferrari e respectivas intrigas daqueles anos 60, especialmente nas tentativas do Dragoni em se livrar de John Surtees para favorecer Lorenzo Bandini, percebe-se que agora, mais de 20 anos após o desaparecimento do Commendatore, que o espírito dele ainda continua por lá. De onde estiver, ele teria ficado satisfeito.

marconi disse...

O que me irritou foi exatamente a incoerência do Massa. E depois ele defendo a Ferrari com a cara de pau, e até uma certa arrogância dizendo que muitos gostariam de estar no lugar dele.

Eugenio disse...

a verdade è que o massa sò diz o que diz sobre cingapura pois ale acha que deveriam mudar o resultado de uma maneira que daria o campeonado a ele...

è puro oportunismo

ALEX disse...

NAO TEM MAIS O Q SE DIZER..

O BRASIL AINDA TÁ A PÉ DE PILOTO NA F-1, SÓ TEM MARICAS

Zacarias disse...

Massa babaca fala uma coisa e faz outra. Mais arrogante q ele só o Bruno Senna.

Natal Antonini disse...

Resposta do Santander ao meu e-mail que reclamei da palhaçada da Alemanha.

"Sr. NATAL DE AVILA ANTONINI Agradecemos sua mensagem e esclarecemos que patrocinamos a escuderia Ferrari e não temos nenhum tipo de ingerência nos assuntos e orientações da equipe Ferrari. Atenciosamente,Sac Santanderwww.santander.com.br[THREAD_ID:1999988] Esta é uma mensagem automática. Por favor não responda. Para novo contato, acessar www.santander.com.br"

Entenderam? Eles não tem nada a ver com isso, eles só colocam alguns milhõeas ali, mas não fazem nenhum tipo de pressão... ah tá...

Marcos Antônio disse...

realmente a equipe de Maranello é a princiapl culpada nisso e assim como Alonso saó reincidentes, o que surpreendeu mesmo foi o Massa, que poderia ter se curvado a essa decisão ridicula...

Carlos disse...

Ico, uma curiosidade: o número máximo de motores permitido por temporada é oito, certo? Como anda essa questão? Quantos motores já foram utilizados por cada piloto?

Ron Groo disse...

Sinto, mas Felipe assinou sua carta de demissão da condição de idolo.
Ficou com a imagem tão arranhada quanto Rubens.

E logo num ano em que vimos um piloto dos mais contestados da categoria fazer exatamente o contrário: Mark Webber.
"-Quer Passar, Vettel? Só por cima!"

Ituano Voador disse...

Alguém acha que o Massa iria engolir o orgulho e assumir que ficou com o papel de 2º piloto para esta temporada? É mais fácil fazer a presepada igual a do domingo e depois enrolar com esse papo de 'estamos na luta etc.'
Agora, ainda penso que a questão de fundo - o jogo de equipe - está sendo tratada com certa hipocrisia. Concordo com o que escreveu o Pandini. E esse tipo de situação ridícula, que é dar uma ordem de equipe camuflada - só acontece por conta desses regulamentos estúpidos, que tentam regulamentar situações inerentes ao automobilismo.

Eduardo Malheiros disse...

O que mais me entristece é ver a reação de uma série de pessoas do meio ao concordar com o episódio. Não que esperasse nada de diferente da parte delas em sua visão particular, mas ao expor isso de forma pública deixam claro o tamanho de sua indiferença para com a Formula 1 na condição de esporte e os valores morais que deveriam acompanhar essa palavra. Triste. Uma pena...

Abraço!

Anselmo Coyote disse...

Ico,

A esperança do torcedor, escaldado com a Ferrari - que por interesses comerciais apoiou até o nazismo -, foi depositada na dignidade do Massa. Como o piloto não correspondeu ele se viu traído e indignado. Normal.

"...qualquer piloto do grid atual teria agido da mesma forma na pista...".

Os precedentes do Webber ao não dar a mínima para a investida do Vettel e deixar o pau quebrar, o credenciam. Somos injustos quando o colocarmos nesse balaio de batatas podres.

Por fim, insisto, eu gostaria que essa benevolência toda da imprensa tivesse sido concedida também ao Nelsinho que igualmente cumpriu uma ordem da equipe.

Abs.

foca disse...

porra ico, coitado dele, literalmente esta entre a cruz e a espada. nao deve ser facil. se for rebelde e tomar um penabunda, fica sem carro um bom e a carreira pode descambar pra sempre. fazer o que? vai pra sauber, lotus? se faz o que manda o novo figurino, leva a pecha de maricas, fracote. ta certo ele, obedece a ordem e tenta se recompor depois, tem muita corrida pela frente na carreira do rapaz.

Marcelle Costa disse...

não torço mais pro Massa: simple assim. Me senti uma palhaça vendo aquela corrida! um desrespeito!

CelsoAM disse...

Ico, concordo plenamente com vc!
Massa muito controverso depois da corrida.
Só não entendo pq tanto ele como o Rob Smedley fizeram questão de mostrar de forma tão explícita a ordem de equipe se depois agiriam de forma tão "profissional".

Pergunta pro Massa se nessa corrida, se ele estiver em terceiro e o Alonso em quarto, ele vai ter que ceder a posição... se será assim pelo resto do ano...

Abraço!

Anônimo disse...

Ico, peço licença para expor minhas reflexões:

- lamentável q na enquete a indignação seja maior com o brasileiro: esse público devia já ter percebido que se Barrichello, Piquet Jr e Massa, assumem serem team mates de já campeões, estão sabendo que teriam de se curvar a eles nalgum momento (independente de qual equipe).
E compreendo as incoerências de cada um, nas 3 situações negativas em q se envolveram - se mesmo o Alonso foi incongruente no pós-corrida de Hockenheim (vide Lauda comments sobre ele)...

- em retrospecto, faz todo sentido a história q vc nos mostrou, sobre os telefonemas do team manager com o di Monte; se alguém há de ser escolhido para se centralizar o esforço da equipe, tem de ser o espanhol, que trouxe o patrocínio mais polpudo, capaz de substituir outro ido embora (vodafone). E ainda pagar a caríssima rescisão para a saída de um mais veloz que todos (Raikkonen).
Daí então, o que o 'don lamúrias' tachou de ridículo, deve ser a resistência em pista do Massa, contrária ao q havia sido decidido na equipe a priori.

- gostei da observação do Speeder 76.
Eu tinha visto no todo do comportamento da Ferrari neste episódio, o mesmo caráter q levou Bandini a trombar a traseira de Graham Hill no México 64 (embora para beneficiar Surtees).
Não q tenha havido ordens para aquilo então,só pode ter sido idéia do piloto italiano, mas o 'espírito da coisa' é idêntico; é uma característica enraizada na equipe, e oriunda do commendatore.

- creio na possibilidade do meeting do World Council servir para se anunciar a flexibilização ou o cancelamento da regra sobre team orders - tem um espanhol poderoso lá, e a data do meeting é na sextafeira do GP da Itália. Me poupem.

f. amaral

thiaguinho1t disse...

Ico voce esta completamente errado, nunhum grande piloto na atualidade como hamilton, webber, vettel e button, faria isso que o massa fez.

ex: hamilton xingou o chefe de equipe no seu ano de estreia, por que ele estava ajudando o alonso.

Anônimo disse...

Pra mim o Massa ia perder a posição pro Alonso de qq maneira, e pra nao ficar ruim perder mais uma pro Alonso ele pensou em se fazer de vitma, so que o tiro saiu pela culatra, acabou ficando com a imagem queimada, a verdade eh que com pneus duros o Alonso ta dando um pau no Massa e ele sabe disso e nao tem o que fazer...Bem, se ele fizer isso de novo acredito que ele va disfarçar o máximo possivel, pois essa estratégia ele ja viu que pega mal!
Agora ele pode peitar a Ferrari, ai ele teria que procurar uma equipe pro ano que vem, mas é uma alternativa, se é que ele é tao guerreiro como ele diz ser.

Anônimo disse...

A questao toda esta na total falta de clareza das regras da F1.
A F1 esta que nem o Brasil.. As regras so valem pros mais fracos..

E como disse um dos que contribuiram pro blog, o massa e o fraco.. Nao tem titulo - nao porque nao mereca porque se tem alguem cupada por ele nao ter conseguido o titulo ainda foi a propria Ferrari -nao trouxe patrocinio, e esta numa numa equipe que o dono e um facista..
E levando em consideracao que o empresario e FILHO do presidente da FIA, nao da nem pra discutir a historia como se deveria.

Anselmo Coyote disse...

"realmente a equipe de Maranello (...) assim como Alonso saó reincidentes, o que surpreendeu mesmo foi o Massa, que poderia ter se curvado a essa decisão ridicula..."

Marcos Antônio,

É o que eu também penso, embora sequer seja massista ou patriota. Ninguém depositaria confiança ou esperaria lealdade de uma organização criminosa como a Ferrari e de criminosos como o Alonso.

Esperava-se grandeza de atitudes do Massa. Como ele se acovardou mais uma vez participando da manipulação do resultado da corrida em prejuízo próprio, e desta vez de forma bem requintada, o torcedor se sentiu traído. Afinal, para que ficar torcendo para um cara sabendo que ele não vai honrar o esforço que fez para estar na frente e ganhar a corrida?

O torcedor é o palhaço desse circo.

Abs.

Fernando Rettore Jr disse...

Não sou contra o Jogo de Equipe, contanto que não exista regra que o torne ilegal.
No caso da Fórmula-1, existe cláusula em que não se admite tal jogo e,assim sendo,deve ser respeitada!
Entendo que o melhor a fazer é alterar a regra para que fique mais próxima da realidade mas, enquanto isso não for feito, defendo punição rígida ao não cumprimento.
Se as regras não devem ser cumpridas, para que finalidade elas existem?????????

Kohara disse...

Fala Ico.

Escrevi umas coisas no meu blog sobre isso (http://coldeturini.wordpress.com/2010/07/29/o-risco-que-corre-felipe-massa/). O que mais apreciava no Massa antes do acidente era a capacidade dele em ler a situação e contar uma história condizente. Podia não ser exatamente uma história real, mas pelo menos ela era conectada com o mundo real.

Nesse caso, infelizmente, ele tá fazendo aquilo que ele passou quase dez anos evitando. Tá contando uma história absurda e, pior, tendo que defendê-la até o fim... Uma pena.

Abraço!

Yuhler disse...

O mais lamentável de tudo é a postura da Ferrari, o que não isenta nem o Alonso (beneficiário), nem o Massa (seu capacho). Essa coisa de dizer que "é para o bem da equipe" é de uma cretinice sem tamanho, coisa do baixo-nível de Montezemolos, Domenicalis e Colajannis.
Há equipes que respeitam o esporte sem se esquecer do negócio, como McLaren, Red Bull e Williams. Das grandes, a Ferrari é a que mais desce ao nível dos esgotos para faturar campeonatos. Pois bem, já que não vai dar para ganhar o campeonato, que fiquem com Alonso e com um provérbio espanhol que cai bem: "Que lo coman quién lo métan".

fernando disse...

Ico, circula a notícia que os diálogos equipe-pilotos começou antes do que se viu pela trans missão da TV.
Não justifica o ocorrido, mas explica o faniquito de Alonso e a incongruência geral nas declarações a posteriori.