sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OS ENGENHEIROS DOS BRASILEIROS - TONY ROSS

Um leitor do blog me pediu que eu retomasse aquela série de entrevistas com os engenheiros de pista dos pilotos brasileiros da Fórmula 1 - o fez pelos comentários ou pelo twitter e eu acabei me enrolando nessa enorme teia de redes sociais e não achei quem foi, desculpe.

Mas o tema é mesmo muito bacana para trazer para discussão aqui no blog e a pedida foi mais que oportuna. Me lembrei que havia conversado com Tony Ross na Bélgica, por ocasião dos 300 GPs de Rubens Barrichello. Parte do material foi aproveitado naquela semana em rádio, jornal, revista e sites. Mas aproveito para colocar a exclusiva abaixo na íntegra.

Ross tem um perfil típico dos engenheiros da Fórmula 1: um garoto que sonhava trabalhar na indústria aeroespacial mas cujos caminhos o levaram a trabalhar para fazer o oposto: que as máquinas ficassem bem grudadas no chão. Tímido ao microfone (como a maioria dos engenheiros), ele se solta quando demonstra a paixão pela competição. E se diz fã do piloto brasileiro. Confira e comente:

Como está sendo trabalhar com Rubens?
Rubens é muito experiente, é um prazer trabalhar em conjunto. Ele consegue dar um retorno muito acurado de como sente o carro. Para um engenheiro, é sempre muito bom estar com um piloto assim. Claro que só trabalhamos juntos em apenas 13 de suas 300 corridas, mas com certeza sou um grande fã dele.

Ele é do tipo que fala muito no rádio ou fica mais quieto?
Ele é razoavelmente breve, não faz longas descrições. Mas também tem um ponto muito forte em identificar rapidamente o comportamento de cada parte do carro. Na corrida ele não fala muito, apenas a comunicação básica mesmo.

Qual seu papel no desenvolvimento do carro?
Rubens chegou num momento em que mudamos o fornecedor de motores, com um regulamento instável e diferenças significativas nos pneus, com os dianteiros ficando mais estreitos. Diante disso, sua experiência com isso é mesmo inestimável. Ele nos mostrou que caminhos seguir. É o caso de dizer que, sem Rubens, estaríamos sofrendo muito nessa temporada.

Conversei com Jock Clear no ano passado e ele chamou a atenção que Rubens era muito bom para identificar as necessidades de um motor. Confere?
Sim, mas isso não se aplica só aos motores, é o mesmo com a aerodinâmica. Ele é bom em todas as áreas e fizemos muitas mudanças importantes baseado só no que ele dizia.

Tivemos recentemente o episódio da ultrapassagem dele sobre Michael Schumacher na Hungria. Você viveu a cena bem de perto, do pitwall. Como foi?
Não pensei no perigo na hora. Só estava concentrado em que ele passasse Michael então, quando isso aconteceu, achei ótimo. Só depois que eu pensei ‘putz, essa passou perto’. Foi uma reação secundária. Vendo as fotos depois, percebi que realmente tinha pouco espaço ali, mas na hora eu só pensava: ‘passa ele, passa ele’.

Te surpreendeu a firmeza dele na manobra?
Acho que esta manobra é um tremendo reflexo de como é Rubens. Depois de 300 GPs, ele faz uma manobra agressiva e corajosa como aquela. Não tem muitas pessoas que você pode descrever assim depois de 100 corridas, quanto mais depois de 300. Fiquei impressionado.

Para encerrar, perto do final da temporada temos o GP do Brasil. Rubens prometeu atuar de anfitrião?
Acho que sim (risos). Ele falou sobre nos levar para andar de kart, o que seria muito divertido. E espero uma visita a uma churrascaria também.

(Foto Luis Fernando Ramos)

10 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom... poucos conhecem realmente como é o Rubinho...

Daniel disse...

Boa entrevista.

Sempre notei que não há dúvidas entre as pessoas do "mundo da F-1" com relação a capacidade do Barrichello, o que no final é realmente o que importa.

Enquanto aqui no Brasil... vivemos em um país onde se relevam mais os defeitos, a piadas do que as virtudes e as boas qualidades que um esportista tem.

E. Souza disse...

A resposta pra essa "Te surpreendeu a firmeza dele na manobra?" foi a a melhor.

Ico, tem acompanhado a evolução dos simuladores? viu que o rFactor 2 virá com um "mod" de Formulas? veja a foto http://mcaf.ee/40287 , acho que nao eh nenhum carro oficial mas eh um estimulo aos desenvolvedores de mod. abraço

Rodrigo Brasileiro disse...

Ico, as vezes fico imaginando como vc consegue fazer um trabalho tão bom! Cara, a entrevista tá MUITO boa. Graças a trabalhos como o seu que ainda dou um pouco de crédito aos jornalistas. Pq meu amigo, o que tem de jornalista ridículo é brincadeira. E digo isso em todas as áreas.

Marcos, ex-piloto disse...

Conheço o Rubinho desde que ele tinha 11 anos de idade e corriamos de kart. É um grande cara. Honesto, competente, humilde, leal, sereno, bem tipo família (aliás tem uma família ótima). É inteligente, sensato, equilibrado e só merece elogios, como piloto e como ser humano. Repito aqui o titulo de um artigo que li sobre o lendário Graham Hill: "A Remarkable Man". É isso que é o Rubinho. O brasileiro precisa dar mais valor a esse novo mito do automobilismo mundial.

Douglas Fortes disse...

Ico e amigos , aqui o link , é do globo esporte.

http://globoesporte.globo.com/motor/formula-1/noticia/2010/09/bruno-senna-andara-com-uma-lotus-do-tio-ayrton-antes-do-gp-do-japao.html

abraços.

Luiz disse...

Bela entrevista!
Quero fazer uma sugestão: que se pergunte para os engenheiros sobre o ingresso na F1 (ou no automobilismo) e dicas para quem quer fazer o mesmo como engenheiro.
Obrigado! Muito bom o seu blog!

Diogo ( Dioguim ) Fã do Rubinho sempre . disse...

Muito boa a entrevista. Aliás excelente ! não é á toa que o Rubinho é respeitado por muitos no Brasil e por varios cantos do mundo na F1. É um baita piloto, e muito Inteligente. Merece demais ser campeão, não que ele não seja, porque pra mim e pra muitos, ele já é campeão, pela humildade, garra e perseverança. Torcendo muito que eles renovem com ele ano que vem, e de um carro mais decente pra ele. Em vista que o desse ano melhorou muito graças a Ajuda dele no desenvolvimento .

Go Go Rubinho !!!!!

Anônimo disse...

Estou com muita esperança que esse grande talento do Rubinho em acertar o carro, resulte num FW33 muito bom para 2011.
Eu sei que o Cosworth não é um grande motor mas vejam o Renault. Tambem não é o melhor motor mas nem por isso a RedBull é um carro fraco.
Torcer muito pro Williams FW33 esteja tinindo nas pistas ano que vem.

Rodolfo disse...

Belissima entrevista Ico...D+!!!

Pra conhecer um pouco mais dessa grande figura que é o Rubens...