quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O 2009 DE RUBENS BARRICHELLO

Fazer listas de final de ano é sempre um risco, pois cada um tem suas próprias opiniõesainda bem. Mas muitos de vocês questionaram a ausência de Rubens Barrichello entre os meusdez melhores”, quando, na verdade, ele está , em primeiro lugar. Ok, está junto do início de temporada excepcional de Jenson Button, da enorme competência de Ross Brawn em gerir uma equipe, de um grupo de profissionais dedicados, alegres e companheiros. O primeiro lugar da Brawn GP é, assim por dizer, uma colocação disparada à frente das outras, e juntei tudo porque me pareceu injusto destacar uma de suas partes acima do todo. Não seria correto com o espírito de união que foi a chave para o sucesso do time.

Para
deixar claro: achei excepcional a trajetória de Barrichello neste ano. Pelas duas vitórias cujas performances foram grandes demais até para uma nota 10; pela autoconfiança demonstrada na parte inicial do ano, afirmando sempre que “uma hora a coisa vai virarquando Button estava ganhando tudo; por trabalhar como sempre e fazer “a coisa virar” a partir do GP da Inglaterra; por encontrar e abrir um canal de comunicação direto com o torcedor através do twitter, mostrando com clareza o seu espírito e conseguindo reverter o (pré-)conceito que a maioria tinha dele; por amanhecer em 2009 sem saber se correria e encerrar a temporada com uma série de equipes vitoriosas interessadas nos seus serviços.

Fiquei pensando em qual imagem poderia resumir o que foi essa incrível história do brasileiro nesse ano. Uma boa escolha seria no seu retorno aos boxes depois da vitória em Valência, quando todas as equipes foram à beira do pitlane para aplaudi-lo em sua passagem. Como se a vitória dele fosse coletiva, sublinhando o enorme carinho que desfruta num ambiente tão hostil como o paddock.

Mas
fico com um momento particular: no domingo em Abu Dhabi, perguntei da sensação que ficava ao olhar para trás e ver o ano que teve. Rubens fez sua análise e, no meio dela, afirmou: “vou sentir falta dele”. No instante seguinte, ele engoliu em seco, os olhos marejaram e a voz quebrou levemente. Não durou mais que um segundo para ele retomar o controle e continuar a conversa. Mas deu para imaginar claramente a descarga de todas as imagens significativas da temporada passando em sua mente. Era a emoção de quem sabe ter tido um ano vencedor, a dor pela perda do título à parte.

30 comentários:

Lucas Carioli disse...

Uma vez na minha comunidade, um sujeito fez uma definição ótima sobre Barrichello. Era mais ou menos assim:

"Existem pilotos vencedores e pilotos campeões. Barrichello é do primeiro e não menos nobre grupo."

Abraço!

Kico disse...

Muito boa essa frase citada pelo Lucas Carioli. E para continuarem a evoluir (n)a Formula 1: Barrichello-Williams. É isso que eles sabem fazer

Christiano disse...

Perfecto!

Daniel Médici disse...

O brasileiro médio possui uma compreensão bastante peculiar do "modus operandi" da Fórmula 1, que não é fácil de determinar daonde vem, mas que muitas vezes não é capaz de dimensionar o valor do Rubinho. O presente texto faz um belo contraponto.

buya disse...

Barrichello, existem sucesso e prestígio. Sucesso é consequência, prestígio é para sempre.2010 será nosso. Buya neles!!!

Alexandre C. Serpa disse...

Eu era do time "Rubinho é ruim", até depois de 'tentar' pilotar um kart e uma BMW num BMW Driver Training ...

Para andar 10metros num fórmula 1 o cara tem que ser bom! Para ganhar uma corrida o cara tem que ser bom! Para ganhar várias corridas mais ainda, para ser vice campeão muito mais ainda!!!!!

E eu acho que os donos das equipes em que o Rubinho dirigiu entendem um pouco mais de pilotagem que 99% dos reclamões do coro contra o Rubinho!

Abraços

Jonathan disse...

Admiro muito o Barrichelo. Um dos meus ídolos! Pena q alguns não o honram. Se fosse de outro país até estátua teria dele. Eu concordo com esses países.
Deveríamos homenageá-lo de alguma forma! Abraços Rubens! Espero que nos testes o Willians já seja a surpresa do ano e você acabe como terminou 2009: CAMPEÃO!!!

Tatiana disse...

Assino em baixo ;)

Joubert disse...

Boa Ico... ganhou elogio do Rubens no twitter!!!

F-1 A.L.C. disse...

só o ultimo parágrafo ja vale os parabéns por ter se sentado a escrever. este blog nunca me decepciona

eu lembro que reclamei, sim, da falta de rubens.

reclamei porque ainda fazendo parte daquela fantástica história que foi a Brawn GP 2009, ainda falta contar a história daqule piloto que mudou o jeito de sr visto NO SEU PAIS, que mesmo tendo uma visão sesgada e pesimista do quadro, era importante para o propio rubens.

Rony Santana disse...

O pré-conceito que muitos alimentaram e tomaram como verdade acerca do Rubens, adveio sobretudo do desespero que se abateu sobre a emissora de Tv que transmite as corridas, após a passagem do Ayrton.

A falta de caráter de alguns profissionais ligados a essa emissora, e os interesses comerciais da empresa, "sacrificaram" a imagem do homem Rubens, e lhe jogaram sobre os ombros uma responsabilidade que ele não assumiu, e nem pediu que lhe jogassem no colo: A de Substituir a ausencia e carisma de outro ser humano(impossível), e salvar o Departamento comercial, e atransmissão do fracasso.

O homem Rubens tem sua personalidade,defeitos e virtudes claro...Mas só após a temporada 2009, e do assédio de parte da imprensa, inclusive alguns profissionais que antes o ridicularizavam, e zombavam com "brincadeiras" tão ridículas como suas carreiras profissionais, é que pudemos enquanto espectadores, conhecer um pouco da personalidade do Piloto Rubinho.

Mas esse é o Brasil, somos obcecados pelo sentimento de que nada que nos pertence pode ser tão bom quanto o que vem de fora né? Precisamos urgentemente, e a toda hora de um novo herói!!! Seja um presidente nordestino, um jogador artilheiro, um idiota do BBB, um substituto perfeito e irretocável para alguém que brilhou por seus próprios méritos, como se pudéssemos clonar alguém, substituí-la após sua morte, como se fosse um fusível.

Rubinho não precisa provar nada, nunca precisou; ainda que a TV ache que sim, ele precisa apenas ser feliz, como todos nós precisamos aliás... E pelo que temos visto nos últimos dias, sua felicidade está cockpit, e graças ao seu trabalho, dedicação, brilhantismo, e sobretudo ao ser humano que ele, mas que nós nunca tivemos a oportunidade de conhcer, ele estará em um ano que vem.

Estamos do seu lado Rubens, vc é um vencedor, orgulho de todos nós brasileiros!!! Que Deus abençoe vc, sua família, e seu trabalho em 2010.

Hoje mais do que nunca , ou em qualquer momento da sua carreira, temos certeza de que vc não é o herói que muitos queriam que fosse, mas é muito melhor!!!!! Vc é humano!!!E mesmo sendo igual a qualquer um de nós, limitado como qualquer um de nós, superou tudo e todos em busca do seu ideal, do seu sonho.

Abração de todos aqui de Recife-PE

ronysantana32@gmail.com

Cláudio Souza disse...

Olha, gosto do Rubens e sou crítico ao seu estilo de pilotar, mas temos que dar as maõs a palmatória... ele é um guerreiro incansável!
Ele deu um exemplo de perseverança ao sempre acreditar mesmo quando a vaca já estava 90% atolada no brejo ( as 6 vitórias do Button no começo do ano ).

Anônimo disse...

Tu puxa muito o saco desse piloto bixo...

Murilo disse...

Fantástica a trajetória deste homem incansável. Vencedor e Campeão. Precisamos para de criticar o Rubinho. Quem chega aos 37 pilotando um Formula 1? Detentor do recorde de corridas disputadas. Disputado, nesta idade. Será que só os estrangeiros estão vendo alguma coisa que nós brasileiros não estamos vendo? Claro que sim....

Fred Sabino disse...

Ico, meu camarada, parabéns pela ótima entrevista com o Rubens!

Abração!

João disse...

Eu tenho uma modesta opinião sobre o sucesso do Rubinho: Pilotar um F1 por quase 20 anos, ou seja, estar entre os 20 melhores do mundo a quase 20 naos, sem o peso do sobrenome, definitivamente não é para qualquer um, o que prova que ele é um piloto brilhante. O brasileiro, muitas vezes inverte os valores...Se ele fosse o principal executivo uma empresa mundial, tivesse chegado lá por meios muitas vezes duvidosos e permanecido por muito menos tempo, ele seria "um grande exemplo de sucesso" para o Brasil.
Parabéns Rubinho ! Sucesso é você ter chegado na F1, mas permanecer lá por quase 20 anos é simplesmente FANTÁSTICO !!! Pena que muitos brasileiros descontem suas próprias frustações em exemplos como você.
Daniel Ramos

claudiomedeiros disse...

Por isso que não não canso de dizer, como fiz antes e depois do GP Brasil:
http://claudiomedeiros.wordpress.com/2009/10/18/valeu-rubinho/
http://claudiomedeiros.wordpress.com/2009/10/17/acelera-rubinho/

Elton disse...

Ico, faltou colocar nos 10 mais de 2009 aquela tua volta comentada no templo de Monza. Um dos melhores posts deste blog, na minha humilde opinião.

Anselmo Coyote disse...

Ico,
Difícil.
Abs.

speed disse...

Texto perfeito.
Tenho certeza de que o Rubens vai mandar bem na Williams ano que vem.
Torço por ele, como nunca. Espero que um dia ele ainda possa calar a voz de quem tanto lhe difamou. E isso ele já está fazendo.
Para quem achava que a carreira dele tinha acabado, se prepare, o melhor ainda está por vir.

Acelera Rubinho, que quem conhece um pouco de você, sabe o quão especial que você é.

Abraços,

Gilsemar Mett

Ronne Franks disse...

O problema é simples: o povo brasileiro sabe q o Rubens é bem melhor do que os resultados q consegue. Daí a frustração... pq F-1 não é como futebol...

Anselmo Coyote disse...

Ronne,

Que tal por o Rubens para jogar futebol e o Cristiano Ronaldo para pilotar um F1?

Abs.

Lecard disse...

Toda vez que lembro do rubinho, e das "brincadeiras" feitas com ele pela "imprensa especializada", me lembro da história que ouvi sobre uma entrevista com o Emerson Fittipaldi, em 1973, após ter sido vice campeão. Em uma entrevista um reporter "especializado" perguntou-o "qual o motivo de sua decadência?" (dado que fora campeão no ano anterior). Nota, o campeão daquele ano foi o Jackie Stewart, vice do ano anterior (72) e campeão em 71 e 68!!!

Beatle Ed disse...

Na minha opinião Rubens é um piloto médio, com um bom trânsito e querido entre equipes mas jamais será um campeão.

Considero inacreditável essa lenda do Rubens "grande acertador de carros"!

Em tempo algum ouvi falar que ele acertava o carro pro Schumacher. (!)

Esse ano a Brawn começou a perder espaço pra Red Bull exatamente quando o piloto brasileiro começou e "desenvolver" o carro e nunca conseguiu o rendimento da primeira metade da temporada.

Teve um carro vencedor nas mãos e nem o vice campeonato coneguiu.

Acertador de carros foi Alain Prost, Barrichello perto dele é e sempre será um mero novato.

Minha opinião é claro! ;-)

Anselmo Coyote disse...

Beatle Ed,

Vc esqueceu do Nelson Piquet. Aquele sim, virou carros ruins pelo avesso e venceu corridas e campeonatos.

Mas, nesses carros atuais, o piloto pode pouco mais que ajustar o banco.

Abs.

Beatle Ed disse...

Pois é Anselmo, quando Hamilton começou a vencer de Alonso na McLaren todos disseram que o inglês copiava os acertos do espanhol e essas mesmas pessoas afirmaram que sem Alonso, Hamilton não saberia o que fazer com o carro.

Alonso voltou pra Renault, e Hamilton pegou um carro horrível no começo do campeonato e acabou vencendo duas provas, fazendo pole e tendo boa atuações.

Aí vem o pessoal e diz que a foi a McLaren que desenvolveu o carro, não o piloto.

OK

A Brawn já começou o ano devastadora, Rubens mal teve tempo de acertar algo no carro, todos diziam que quando ele pegasse a mão, passasse a desenvolver e acertar o carro pro seu estilo "a coisa ia virar".

O que se viu foi uma equipe que praticamente estacionou em termos de performance, a maioria dos updates e melhorias não surtiram efeito algum, tanto que tiveram que voltar para soluções antigas comprovadamente mais eficientes.


Aí vem o pessoal e diz" Pô mas Barrichello é o grande desenvolvedor e acertador de carros"!

Tenham dó!

Piquet, Lauda, Emerson e Prost sabiam como acertar um carro, Rubens é café com leite!

abs

celsovedovato disse...

Muito legal seu post Ico,
Aprendi a admirar Barrichello neste ano. Já tinha apreço pela sua carreira e por tudo o que fez na F1, mas este ano foi diferente, e gostaria de apontar um motivo para tudo isso. Barrichelo não correu nem venceu para a F1, para a equipe, para os fãs, para a imprensa ou para os críticos. Ele correu pra si e principalmente para a sua família e especialmente para ver a carinha de felicidade dos seus filhos felizes com uma vitória do pai, e aí tudo faz sempre muito mais sentido.

Anselmo Coyote disse...

Beatle Ed,

Uai, me diga aqui: o cara que corre para si próprio e/ou para os seus está impedido ou proibido de lutar por títulos, vencer corridas e ser campeão? Então de que vale ter o melhor carro do grid?

O Nelson Piquet corria para si próprio. Cansou de vencer corridas e foi campeão 03 vezes.

Quando foi campeão pela primeira vez houve esse diálogo com um jornalista:

- Jornalista: Nelson, vc dedica este título a quem?
- Nelson piquet: dedico a mim, pô; eu que fui lá e ganhei.

Não tem jeito. Nós somos melhores mesmo quando somos piores. Mesmo que seja em inventar desculpas.

Convivo com a opinião numa boa desde que eu possa dar a minha igualmente.

E a minha é essa: como piloto, o Rubens Barrichello é um b.nda mole.
Mantidas as devidas proporções, o que o frisson que o sushi-maker Kobayashi causou em performance e resultados em duas corridas ele não fez em 17 anos de F1.

Abs.

Pinheirinho disse...

Honra, realmente, não é tarefa para os comuns. Erguer a cabeça e partilhar o abraço vencido no vencedor acende o renascer dos grandes heróis trágicos que povoaram a literatura clássica, revisitada nesse gesto caloroso do grande Rubinho. Resignar-se é uma atitude de dignidade. Ganhar e perder faz parte das efêmeras ondulações da perecível existência humana. O que permanece memorável na marca especular de um tempo que não passa é o ato do guerreiro carregado de emoção e elevando-nos pela destemida consecução do seu caráter. Isso representa o balanço positivo de um ciclo que se renova. Outros GPs virão. E nosso Rubinho estará ensinando a todos como se faz um verdadeiro campeão.
Pinheirinho é divulgador cultural é maranhense, a partir de Brasília. - E-mail: pinheirinhoma@hotmail.com

fernando disse...

Eu não acredito no que estou lendo, acho que vcs realmente andaram assistindo muito o Galvão narrar a F-1. EM 1º lugar não é pelo fato de um piloto ser brasileiro que temos que achar que êle é o melhor do mundo. Quando êle optou pela Ferrari ele sabia o que estava fazendo, preferiu a grana para ser o 2º, a Ferrari simplesmente optou pelo melhor, quem não faria o mesmo?? O cara é bom carater, bom pai, acredito que bom marido, honesto, bem intencionado, mas parou por aí. TOP o cara não é messsssmo. A grande verdade é que o Rubinho não passa de mais um piloto como tantos outros, não deu certo. Palavras do sr. Galvão Bueno: "O Barichello e o piloto que mais GPs pilotou na história da F-1." OK, mas me digam; quantas corridas êle conseguiu vencer, que é o que realmente interessa?? Se não me engano o número de vitórias foi praticamente o mesmo que o Massa teve em apenas uma temporada. Gente prestem atenção, sempre acontece alguma coisa. Na Ferrari era o "alemão mau", como se a equipe não tivesse o direito de optar pelo melhor piloto, depois o carro não era competitivo, uma ora choveu, outra não choveu, são os freios, são os pneus, é a asa, blá, blá, blá. Eu já ouví de tudo. Na verdade tem um coisa que batizei de "FATOR BARICHELLO". O cara não tem estrêla, ou seja a sorte dos grande campeões. Este ano êle ficou todo o campeonato em seu "eterno" 2º lugar,( e olha que estou sendo benevolente com eterno 2º), e no final, na última corrida da temporada, eis que surge novamente "O FATOR BARICHELLO" e êle consegue perder o vice campeonato para o Vetel, outro alemão. O destino as vêzes sabe ser cruel, outro alemão. Vocês perceberam? Quando êle corria pelo campeonato no máximo conseguia o vice, agora êle corria pelo vice e perdeu também. Tenho ou não tenho razão?? Rubinho, não é nada pessoal, mas contra fatos não existem argumentos. Cara, larga de correr e vai trabalhar junto com seu grande torcedor Galvão Bueno, lá êle vai ficar sempre ter enaltecendo e relembrando de como a Ferrari e o alemão te sacanearam durante todas aquelas temporadas.Pois depois de você é o Galvão que mais desculpas sabe dar para explicar seus fracassos.