quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

TORO ROSSO

muito em comum entre Michael Schumacher, Kimi Raikkonen e Fernando Alonso: são três talentos excepcionais, foram campeões do mundo e, desde hoje, juraram encerrar suas carreiras na Ferrari. Temos o alemão ostentando a estrela da Mercedes-Benz em seu capacete; o finlandês de contrato assinado com a Red Bull e, ao que tudo indica, vai se divertir um ano no WRC antes de assumir o cockpit de Mark Webber; e o futuro do espanhol, como o de todos nós, é incerto.

Eu
realmente não sei porque os pilotos (e também jogadores de futebol) insistem em fazer esse tipo de promessa. Deve ser por subestimar o fogo da competição que corre no sangue. Isto permanece. Um contrato, ou um ambiente de trabalho harmonioso, não. Acho que Alonso não deveria pensar que esta na última estação da sua carreira. Deveria sim insistir no outro lado do seu discurso de hoje, na motivação em ter uma trajetória vitoriosa na equipe que defenderá a partir desse ano. O torcedor fanático do Real Madrid até usou o slogan do rival Barcelona, se referindo ao time italiano comomais do que uma equipe”.

Para
a idéia de encerrar a carreira em vermelho dar certo, o sucesso terá de vir logo. Pilotos tão excepcionais e talentosos como o espanhol toparam o desafio de reerguer a Ferrari e chegaram em meio à muita festa, mas a falta de resultados comprometeu a relação com a imprensa e os tifosi. O final abrupto da relação foi inevitável. Mas, se chegar vencendo, Alonso tem tudo para se tornar um verdadeiroToro Rosso” e escrever uma história de sucesso parecida com a de Michael Schumacher. Seu objetivo, claro, é esse.

Para
isso, vai precisar de um bom carro. Nas conversas de bastidores do Wrooom, sinto que a expectativa é por um bólido competitivo, mas sinto também muita preocupação em relação ao consumo de combustível. Com o novo regulamento, quem conseguir aliar potência e economia terá uma vantagem significativa. E a Ferrari parece correr atrás do prejuízo nesse quesito. Vale conferir.

Talvez
por isso, Alonso tratou de baixar as expectativas e deixou claro que dificilmente vai chegar vencendo logo na estréia. “Vou precisar de umas três ou quatro corridas para me adaptar ao carro e à rotina da equipe”, falou. E explicitou também a importância que será trabalhar em conjunto com Felipe Massa neste início, que o brasileiro está indo para sua quinta temporada em Maranello e conhece muito bem como funciona a rotina ali.

A
primeira coletiva de Fernando Alonso vestindo o uniforme da Ferrari mostrou um piloto confiante e faminto pelo sucesso, como se imaginava. Mas muito ciente do tamanho da tarefa que vai enfrentar neste e nos próximos anos, e arrumando uma maneira de ganhar tempo para crescer naturalmente dentro da equipe. Porque as cicatrizes de 2007 lhe ensinaram que não adianta chegar tentando se impor.

10 comentários:

Aderson disse...

Será que o motor Mercedes vai sair na frente no quesito economia aliada a potencia??

Ewerton H. De Pedri disse...

Se não me engano, na última temporada, os motores Renault pareciam ser os mais econômicos.

Pedro disse...

o motor renault era muito economico e muito pouco potente tb

o motor ferrari é mais potente q o motor mercedes, então a ferrari pode optar por perder um pouco mais de potencia para maximizar a economia...

Bruno disse...

Ahh como eu torço para que ele afunde...como sempre digo, piloto-pagante é totalmente descartavél na F1.

O que dira, então, de um bi-campeao pagante?

Que afunde Alonso.

F-1 A.L.C. disse...

a economia de combustível nunca foi o forte da ferrari, e agora vai ser dificil corrigir esse defeito. eu espero até 2011 pra ver Alonso dar verdadeiros resultados ao mando de um vermelinho.

Anônimo disse...

Ico, só dá ALONSO na imprensa, mas o menino de Botucatu vai comer pelas beiradas.
Avança FELIPE.

Daniel Médici disse...

Se bem me lembro, o Alonso mesmo antes de ganhar seu primeiro título dizia que queria parar cedo na F1, almejava não mais do que três títulos e nem pensava em sair tentando bater os recordes estratosféricos do Schumacher.

Luiz G disse...

Acho que os pilotos dizem que querem terminar a carreira na Ferrari para mostrar devoção e compromisso com o time.

Alonso também disse que seu sonho era correr pela McLaren.

Schumacher foi, realmente, fiel na Ferrari. Ficou no time nas vitórias e nas derrotas e reergueu um time com 20 anos de derrotas.
Um verdadeiro Ferrarrista que agora veio inventar moda.

Se Schumacher não for campeão na mercedez, terá manchado a toa seu compromisso Ferrarrista.

Alonso tem que terminar na Ferrari, pois não tem mais pra onde correr.

Luiz G disse...

Também lembro de Alonso dizer que queria ser tri-campeão e já poderia parar.

Mas esses caras amam demais isso. Acho que querem parar e não conseguem.

Abraços

Felipe Maciel disse...

Nessa época do ano, é difícil distinguir entre o que dizem se é verdade, encenação ou se eles pensam que é verdade e dizem sem muita certeza.

Mas se o Alonso disse que pretende se adaptar ao carro nas primeiras provas, é bom o Massa já começar dando o pulo do gato. O problema é que o retrospecto dele na Austrália e na Malásia não é dos melhores.